Mercado abrirá em 5 h 49 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,87
    -0,28 (-0,41%)
     
  • OURO

    1.808,00
    -2,50 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    39.028,59
    +1.161,25 (+3,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    965,25
    +38,48 (+4,15%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.123,86
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    26.151,31
    -275,24 (-1,04%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.085,75
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1463
    +0,0280 (+0,46%)
     

Dólar avança para R$ 4,09; investidores avaliam leilão do pré-sal

Hoje, Petrobras, em consórcio com a chinesa CNODC, arrematou área na Bacia de Santos; ontem, a estatal, sozinha e em consórcio, ficou com duas das quatro áreas oferecidas O dólar comercial devolveu a queda de quase 1% registrada na abertura e opera em leve alta nesta manhã, influenciado por nova frustração com leilões do pré-sal. Por volta das 11h20, a moeda brasileira operava em alta de 0,25%, as R$ 4,0912. O movimento ocorre a despeito de um exterior mais positivo para as divisas emergentes e ligadas à commodities. Por trás desse sentimento no exterior, estão novidades a respeito do acordo entre Estados Unidos e China. Na madrugada, o ministério do Comércio chinês informou que chegou a um acordo para a remoção de tarifas trocadas com os EUA em fases. No Brasil, após o fracasso com o leilão de excedentes da cessão onerosa da véspera, investidores aguardavam uma sinalização mais positiva das petroleiras estrangeiras no certame de hoje do pré-sal. No entanto, a exemplo do que aconteceu ontem, apenas uma área foi arrematada, a de Aram, e também com participação majoritária da Petrobras. Apesar da aparente falha nesse novo “teste” do apetite do estrangeiro pelo Brasil, o gestor da Infinity Asset, Jason Vieira, adota uma postura mais ponderada. “Existe um movimento hoje que ainda é repeteco o que ocorreu ontem, mas não dá para dizer que é representativo do que pode ocorrer daqui para frente”, diz. “O que vai atrair capital para o Brasil são as concessões e privatizações, e o governo está trabalhando nisso. [O resultado de ontem] não foi bom, mas não muda a perspectiva futura, somente a de curto prazo.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos