Mercado fechado

Dólar opera abaixo de R$ 5,10 com investidor atento ao exterior

Marcelo Osakabe

Rumos da política monetária no Brasil também merecem monitoramento O rali das moedas emergentes visto nos últimos dias perdeu força nesta quinta-feira, em meio a uma combinação de declarações da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, que negou a inclusão títulos especulativos (junk bonds) dentro do programa de ações emergenciais para a pandemia (PEPP) da instituição, e um dado pior que o esperado nos Estados Unidos.

Por volta das 13h20, a moeda americana recuava 0,11%, a R$ 5,0870. No mesmo horário, o dólar avançava 0,77% contra o peso mexicano, 1,13% ante o rublo russo e 0,44% na comparação com a lira turca, mas cedia 1,26% ante o peso chileno e 0,21% frente ao peso colombiano.

Principal evento do dia, a decisão de juros do BCE agradou os mercados ao ampliar o PEPP em 600 bilhões de euros, 20% a mais do que esperavam os analistas. No entanto, houve certa frustração com a fala de Lagarde, que disse que os dirigentes não discutiram a inclusão de ativos "indesejados" dentro do programa. Apesar disso, o euro mantem forte alta contra o dólar nesta primeira parte do pregão, superior a 0,80%.

Para o ING, o aporte maior que o esperado e também o anúncio de que os reinvestimentos do programa irão durar até o fim de 2022 são positivos para a moeda do bloco. Ainda assim, "o euro já vem sendo negociado acima do seu valor justo de curto prazo. Dessa forma, vemos folga apenas limitada para uma valorização idiossincrática da moeda", dizem analistas do banco holandês em nota. "Dessa forma, acreditamos que o programa tenha um caráter sobretudo estabilizador sobre a divisa, evitando que ela se enfraqueça demasiado".

Outro fator que desagradou o investidor global foram os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos. Na semana passada, eles caíram a 1,877 milhão, acima da expectativa de 1,8 milhão dos analistas consultados pelo Wall Street Journal. "Esta é a nona queda consecutiva do dado. Ainda assim, após 11 semanas de crise, o indicador permanece assustadoramente alto", dizem economistas do Wells Fargo. Outro dado preocupante, acrescentam, é que, embora os EUA estejam reabrindo a economia, os pedidos continuados de auxílio subiram a 21,5 milhões.

Roberto Moreyra/Agência O Globo