Mercado fechará em 3 hs
  • BOVESPA

    118.674,92
    +1.294,43 (+1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.765,04
    -361,47 (-0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,56
    -0,21 (-0,40%)
     
  • OURO

    1.850,70
    -4,50 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    31.825,67
    -542,61 (-1,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    639,35
    -7,97 (-1,23%)
     
  • S&P500

    3.857,56
    +2,20 (+0,06%)
     
  • DOW JONES

    30.985,10
    +25,10 (+0,08%)
     
  • FTSE

    6.666,25
    +27,40 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.514,75
    +39,25 (+0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5182
    -0,1180 (-1,78%)
     

Dólar fecha em R$ 5,08 e tem primeira semana de alta em um mês

Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil*
·2 minuto de leitura

Num dia de ajustes no mercado global, o dólar teve leve alta e a bolsa encerrou com pequena baixa. A moeda norte-americana interrompeu uma sequência de quatro semanas de queda, mas a bolsa acumulou a sétima alta semanal consecutiva, o melhor desempenho desde 2017.

O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (18) vendido a R$ 5,083, com alta de R$ 0,004 (+0,08%). A cotação oscilou bastante, alternando momentos de alta e de baixa. Na máxima do dia, por volta das 10h15, a moeda norte-americana chegou a R$ 5,11, mas a alta perdeu fôlego ao longo da sessão.

Na semana, a cotação subiu 0,73%, a primeira alta desde a semana de 9 a 13 de novembro. Apesar da alta semanal, a divisa acumula recuo de 4,9% em dezembro.

No mercado de ações, o dia começou com ganhos, mas a bolsa não conseguiu manter o fôlego. Depois de ultrapassar os 119 mil pontos no fim da manhã, o índice Ibovespa não conseguiu segurar a alta e fechou o dia com queda de 0,32%, aos 118.024 pontos.

A sessão foi marcada pela cautela no mercado externo, depois do otimismo global de ontem (17) com o avanço das vacinas contra a covid-19 e o progresso nas negociações de um novo pacote de estímulos nos Estados Unidos. Na sessão de hoje, os investidores internacionais foram influenciados pelo aumento no número de casos em diversos países e pelo ceticismo em relação às conversas no Congresso norte-americano.

O início da vacinação contra a covid-19 em diversos países aumenta as esperanças em relação à reabertura das economias. A aprovação pelo Congresso dos Estados Unidos de um novo pacote de estímulos aumentaria a injeção de dólares na economia mundial, reduzindo a pressão do câmbio sobre países emergentes, como o Brasil.

* Com informações da Reuters