Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -0,07 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.744,90
    -4,90 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    44.458,93
    +1.153,78 (+2,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.119,18
    +10,26 (+0,92%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.309,25
    +5,75 (+0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2261
    +0,0173 (+0,28%)
     

Dólar fecha em queda de 0,70%, a R$5,385

·1 minuto de leitura
Dólar fecha em queda de 0,70%, a R$5,385

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em queda nesta sexta-feira, mas não sem antes superar a barreira dos 5,47 reais, o que atraiu vendas, e a moeda acumulou firme alta na semana, sinal da maior exigência de prêmio de risco diante do aumento do burburinho político-fiscal doméstico e da leitura de que os EUA podem cortar estímulos antes do esperado.

O dólar à vista caiu 0,70%, a 5,385 reais na venda, maior queda desde o último dia 10 (-0,96%).

O alívio depois da alta de quase 3% nas duas sessões anteriores não veio sem volatilidade. Entre a máxima (5,4765 reais, alta de 0,98%) e a mínima (5,3711 reais, queda de 0,96%), a cotação variou mais de 10 centavos de real.

Nesta sexta, o dólar também ensaiou um ajuste de baixa no exterior, embora mais tímido. O índice da moeda norte-americana frente a uma cesta de divisas recuava 0,14% no fim da tarde, após mais cedo renovar máximas em nove meses e meio.

Aqui, o dólar futuro negociado na B3 chegou ao fim da tarde em baixa de 0,56%, a 5,3950 reais, após cravar 5,4840 reais pela manhã, maior patamar desde o começo de maio.

Na semana, o dólar à vista subiu 2,65%, valorização mais forte desde a semana finda em 9 de julho (+4,01%). Em agosto, a moeda ganha 3,39%, elevando a alta no ano para 3,73%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos