Mercado abrirá em 7 h 13 min
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,26
    -0,81 (-1,12%)
     
  • OURO

    1.809,30
    +7,50 (+0,42%)
     
  • BTC-USD

    38.485,05
    +4.142,39 (+12,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    922,41
    +128,67 (+16,21%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    26.389,03
    -932,95 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    27.794,15
    +246,15 (+0,89%)
     
  • NASDAQ

    15.078,75
    -19,25 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1233
    +0,0017 (+0,03%)
     

Dólar fecha em leve queda com recuperação no exterior

·2 minuto de leitura

Depois de fechar no maior nível em quase dois meses ontem (19), o dólar recuou um pouco nesta terça-feira (20) e fechou em leve baixa. A bolsa de valores parou de cair após três sessões seguidas de perdas e recuperou o nível de 125 mil pontos.

O dólar comercial encerrou esta terça vendido a R$ 5,231, com queda de R$ 0,019 (-0,37%). A cotação teve um dia de volatilidade. A moeda norte-americana avançou pela manhã, atingindo R$ 5,29 na máxima do dia, por volta das 10h30. No início da tarde, passou a recuar, até chegar a R$ 5,21 perto das 13h.

Nas horas finais de negociação, o movimento de queda perdeu força, e a moeda fechou praticamente estável. A divisa acumula alta de 5,19% em julho. Em 2021, a valorização chega a 0,81%.

O mercado de ações teve um dia mais otimista. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 125.401 pontos, com alta de 0,81%. No início do pregão, o indicador operou perto da estabilidade, mas passou a subir com a recuperação no mercado externo e com a alta dos preços internacionais do petróleo.

Ontem, o dólar teve a maior alta diária em dez meses e a bolsa fechou no menor nível desde o fim de maio por causa das preocupações com a disseminação da variante delta do novo coronavírus. A possibilidade de que novas medidas de restrições sociais limitem a recuperação em economias avançadas aumentou o pessimismo no mercado global.

Hoje, o clima no exterior foi mais otimista, com as bolsas norte-americanas registrando forte alta e influenciando o mercado financeiro em todo o planeta. Investidores aproveitaram a queda no preço de ações para comprarem papéis, abrindo caminho para a recuperação dos índices e diminuindo a pressão sobre o câmbio.

Os preços do petróleo, que ontem tinham caído por causa das preocupações com a variante delta e do acordo da Organização dos Países Exportadores (Opep) para aumentar a produção nos próximos dois, anos, voltaram a subir hoje. Essa alta influencia ações de empresas petroleiras, as mais negociadas em várias bolsas, como a brasileira.


*Com informações da Reuters

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos