Dólar fecha em alta de 0,19%, mas na mínima do dia

O mercado de câmbio operou somente na manhã desta véspera do feriado de Natal e as negociações ficaram restritas ao mercado à vista de balcão. A BM&FBovespa não abriu e, assim, não houve transações com contratos futuros e demais derivativos, o que limitou o volume de operações. A cotação encerrou a R$ 2,077, na mínima desta segunda-feira, com alta de 0,19%. Pouco depois das 12 horas, 39 negócios tinham sido registrados na clearing da BM&F, somando volume de US$ 816 milhões.

A taxa de câmbio oficial do Banco Central - Ptax - ficou em R$ 2,0774. A cotação representa alta de 0,08% sobre os R$ 2,0758 apurados na sexta-feira.

Segundo operadores, apesar da liquidez restrita, as transações não se limitaram ao interbancário e houve negócios com clientes, principalmente exportadores. Isso teria determinado fluxo levemente positivo e explicaria o encerramento do dia com a cotação na mínima.

A pressão de alta do dólar ante o real deu-se em função do cenário internacional. O destaque são as negociações em torno do abismo fiscal norte-americano, que tiveram um revés no final da semana passada, frustrando as expectativas de que uma solução para as contas públicas dos EUA fosse encontrada antes do Natal. Agora, os investidores domésticos esperam que o governo de Barack Obama e os congressistas republicanos possam chegar a um acordo nos próximos dias.

"O destino que vai ser dado à questão do abismo fiscal é a principal expectativa deste final de ano e o que se espera é que uma solução positiva seja encontrada", disse uma fonte.

Internamente, o mercado de câmbio voltará do feriado Natal com um leilão de venda de dólares com recompra - linha - já anunciado pelo Banco Central. A operação será realizada no dia 26, das 9h30 às 9h35, e serão oferecidos até US$ 2 bilhões.

Carregando...