Mercado fechará em 1 h 28 min
  • BOVESPA

    119.332,00
    -232,44 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.923,90
    +524,10 (+1,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,68
    -0,95 (-1,45%)
     
  • OURO

    1.813,40
    +29,10 (+1,63%)
     
  • BTC-USD

    56.777,64
    -606,70 (-1,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.474,73
    +3,31 (+0,23%)
     
  • S&P500

    4.169,44
    +1,85 (+0,04%)
     
  • DOW JONES

    34.330,09
    +99,75 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.502,50
    +11,50 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3727
    -0,0542 (-0,84%)
     

Dólar fecha abaixo de R$ 5,40 pela primeira vez desde fevereiro

Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil*
·2 minuto de leitura

Em um dia de otimismo no mercado internacional, o dólar teve queda expressiva e fechou abaixo de R$ 5,40 pela primeira vez desde fevereiro. A bolsa de valores recuperou-se da queda de ontem (27) e fechou no nível mais alto em quase duas semanas.

O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (28) vendido a R$ 5,362, com recuo de R$ 0,10 (-1,82%). A moeda norte-americana operou em queda durante toda a sessão, mas intensificou o recuo durante a tarde, depois que o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) divulgou o resultado da reunião dos últimos dois dias.

Na menor cotação desde 2 de fevereiro, quando tinha fechado a R$ 5,355, a divisa acumula queda de 4,7% em abril. No ano, o dólar acumula alta de 3,33%. Hoje, o real teve o melhor desempenho entre as principais moedas de países emergentes.

A euforia no câmbio estendeu-se ao mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou esta quarta aos 121.052 pontos, com alta de 1,39%. Além da repercussão da decisão do Fed, o indicador foi impulsionado por ações de bancos, após a divulgação do balanço de instituições financeiras.

Nesta quarta-feira, o presidente do Fed, o Banco Central dos Estados Unidos, Jerome Powell, confirmou que o órgão continuará a dar “apoio poderoso” à economia norte-americana, mantendo os juros básicos da maior economia do planeta entre 0% e 0,25% ao ano. Powell indicou que o Fed não subirá tão cedo as taxas, apesar de dados de inflação e de recuperação do emprego maiores que o previsto.

Embora tenha beneficiado países emergentes, como o Brasil, a declaração de Powell não foi tão bem recebida nas bolsas norte-americanas. Os três principais índices de Wall Street fecharam em baixa nesta quarta-feira.

*Com informações da Reuters