Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.510,55
    +162,58 (+0,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Dólar encosta em R$ 5 com dados de inflação nos Estados Unidos

Em mais um dia de nervosismo no mercado internacional, o dólar teve forte alta e encostou em R$ 5. A bolsa de valores caiu para o menor nível em um mês e encerrou a semana com perdas de mais de 5%.

O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (10) vendido a R$ 4,986, com alta de R$ 0,073 (+1,49%). A cotação operou em alta durante todo o dia, chegando a R$ 5,01 na máxima da sessão, por volta das 11h30.

A moeda norte-americana atingiu o maior valor desde 16 de maio, quando tinha encerrado em R$ 5,052. Apenas nesta semana, o dólar subiu 4,39%. A divisa acumula alta de 4,9% em junho, mas cai 10,58% em 2022.

O mercado de ações também teve um dia turbulento. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 105.481 pontos, com recuo de 1,51%. O indicador está no menor nível desde 11 de maio. Nesta semana, o índice caiu 5,06%, a maior baixa semanal desde outubro do ano passado.

O dólar subiu e as bolsas de valores caíram em todo o planeta após a divulgação de dados da inflação dos Estados Unidos. O Índice de Preços ao Consumidor norte-americano atingiu 1% em maio. Em 12 meses, o indicador chega a 8,6% e está no maior nível desde 1981, pressionado pelo preço dos combustíveis em meio à guerra entre Rússia e Ucrânia.

Preços mais altos nos Estados Unidos aumentam a expectativa de que o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) endureça a política de altas dos juros. Taxas mais altas em economias avançadas estimulam a fuga de recursos de países emergentes, como o Brasil.

As bolsas norte-americanas também tiveram forte queda nesta sexta. O índice Dow Jones, das empresas industriais, caiu 2,73%. O Nasdaq, das empresas de tecnologia, recuou 3,52%. O S&P 500, das 500 maiores empresas, teve baixa de 2,91%. Quando as bolsas caem em países desenvolvidos, investidores retiram recursos do Brasil para cobrirem prejuízos no exterior.

*Com informações da Reuters

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos