Mercado fechará em 4 h 56 min

Dólar encerra em alta de 1,18% cotado a R$ 4,1423

Rafael Lara
Dólar encerra em alta de 1,18% cotado a R$ 4,1423

O dólar encerrou, nesta segunda-feira (13), em alta de 1,18% sendo cotado a R$ 4,1423.

O dólar subiu devido a vários fatores. Entre as notícias do dia, os EUA recuaram sobre manipulação de câmbio da China em decorrência do acordo da primeira fase da guerra comercial.

Além disso, contribuíram para o resultado desta segunda do dólar:

  • Boletim Focus reduz previsão da taxa Selic para 6,25% em 2021;
  • Economia do Reino Unido cai 0,3% em novembro frente a outubro;

Guerra comercial

Os Estados Unidos pretendem suspender sua designação da China de manipuladora cambial à medida que as duas potências mundiais se preparam para a assinatura do acordo da primeira fase do acordo de comércio que foi pensado para evitar uma guerra comercial. A informação foi noticiada pela agência "Bloomberg" nesta segunda.

Saiba mais: Guerra comercial: EUA recuam sobre manipulação de câmbio da China

Ainda de acordo com a agência, o Departamento do Tesouro dos EUA tomará essa atitude, que é consequência dos desdobramentos da guerra comercial, no relatório semestral que será divulgado em breve.

Boletim Focus

Os especialistas das 100 principais instituições financeiras do mercado brasileiro, que contribuem com a elaboração do Boletim Focus, reduziram a previsão da taxa básica de juros do País (Selic) de 6,50%, na última segunda-feira(6), para 6,25% em 2021.

Saiba mais: Boletim Focus reduz previsão da taxa Selic para 6,25% em 2021

Há quatro semanas, no entanto, as previsões dos profissionais no Boletim Focus para a taxa Selic de 2021 era um pouco menor, de 6,13%.

Reino Unido

Em meio às incertezas políticas, a economia do Reino Unido recuou 0,3% em novembro frente a outubro, com uma queda de 1,3% da indústria. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (13) pelo Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês).

Saiba mais: Economia do Reino Unido cai 0,3% em novembro frente a outubro

A queda do Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido marca o terceiro declínio nos 11 meses de 2019 registrados até agora. O indicador foi 0,6% maior que o mesmo período do ano anterior, ritmo mais fraco de crescimento anual desde junho de 2012.

Por mais que existam pesquisas de negócios demonstrando que a atividade econômica melhorou após a vitória do Partido Conservador, do primeiro-ministro Boris Johnson, o fraco desempenho torna mais provável que o Banco da Inglaterra (BoE) corte as taxas de juros nos próximos meses.

Última cotação do dólar

Na última sessão, sexta-feira (10), o dólar encerrou em alta de 0,186% cotado a R$ 4,094.