Mercado abrirá em 1 h 45 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,44
    -0,02 (-0,03%)
     
  • OURO

    1.777,50
    +10,70 (+0,61%)
     
  • BTC-USD

    60.613,14
    -2.124,45 (-3,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.347,63
    -33,31 (-2,41%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    7.016,68
    +33,18 (+0,48%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.005,75
    -8,25 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7300
    +0,0089 (+0,13%)
     

Dólar chega a R$ 5,80, mas reduz alta no fim da tarde

Wellton Máximo - Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

Depois de ultrapassar a barreira de R$ 5,80, o dólar desacelerou perto do fim das negociações e fechou com pequena alta. A bolsa de valores oscilou bastante, mas subiu pela terceira sessão seguida.

O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (29) vendido a R$ 5,766, com valorização de R$ 0,025 (+0,43%). Na máxima do dia, por volta das 12h, a cotação chegou a R$ 5,805, mas passou a operar próxima da estabilidade no início da tarde. Nas horas finais de negociações, a cotação voltou a acelerar, mas em ritmo insuficiente para recuperar os valores máximos.

No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3, fechou aos 115.419 pontos, com ganho de 0,56%. O indicador alternou altas e baixas até o meio da tarde, mas firmou a tendência de alta após as 16h.

O dólar e a bolsa oscilaram em meio às negociações sobre vetos no Orçamento Geral da União, aprovado pelo Congresso na semana passada. O anúncio de trocas de comandos em diversos ministérios também influenciou o mercado próximo do fim da sessão.

O mercado também foi influenciado pelo exterior. A decretação de novas medidas de restrição social em diversos países da Europa e alertas de prejuízos em um grande fundo de investimento norte-americano pressionaram as negociações em todo o planeta.

*Com informações da Reuters.