Mercado fechará em 3 h 31 min

Dólar caindo lá fora e subindo aqui é tudo o que o Banco central não quer!

·2 minuto de leitura

O dólar já vem se valorizando em relação ao real desde julho, conforme já foi explicado no artigo “Dólar alcançando novas máximas perante o real”. Mas, o mesmo comportamento é observado também com relação a outras moedas.

O Euro vem caindo perante a moeda americana a várias semanas, enquanto o DXY vem alcançando novos patamares, conforme explicado no artigo “Com o euro caindo, o dólar ganha força perante outras moedas”.

A atuação do Banco Central.

O aumento excessivo do dólar não é bom para o Brasil. Por esse motivo, o Banco Central brasileiro (BC) trabalha basicamente de duas formas para controlar a taxa de câmbio.

A forma passiva trata-se da utilização de swaps cambiais. Os Swaps cambiais são usados pelo BC como uma ferramenta para aumentar a oferta da moeda americana. Estes swaps são realizados em datas e horários pré-agendados, por isso são considerados aqui como uma forma passiva.

A forma ativa, por sua vez, trata-se da intervenção direta do BC no mercado de câmbio. Ao realizar a venda direta de um grande número de contratos de dólar, o preço do ativo cai, devido a lei da oferta e demanda.

Apesar da alta do dólar nos últimos dias, o BC permanecia trabalhando apenas de forma passiva, pois a moeda americana continuava subindo no restante do mundo.

Porém hoje, a situação foi diferente. Apesar de o dólar futuro abrir em baixa, o ativo vinha fazendo movimentos de alta e violou a máxima, chegando próximo dos R$5,60.

O que causou preocupação, é que o DXY vinha caindo bastante ao longo do dia. Do mesmo modo, o euro fazia um forte movimento de alta, enfraquecendo a moeda americana.

Com isso o BC precisa intervir.

Em um cenário como esse, o BC entra em ação, acreditando que a alta do dólar é reflexo, principalmente, de especulação.

Com a intervenção do BC, o dólar futuro entra em leilão e se ajusta a um novo nível de preços quando o leilão é finalizado. Quem está comprado apenas por especulação, fica preso em uma posição perdedora até que o ativo saia do leilão.

Quando o ativo volta a ser negociado, os compradores que precisam zerar suas posições, vendem seus contratos. Isto faz com que, nesta situação, o dólar continue caindo após a intervenção do BC.

Conforme mostrado no gráfico, às 15 horas o BC fez uma atuação, derrubando o dólar futuro em cerca de 30 pontos, ou 3 centavos. Na sequência o ativo continuou caindo e acabou fechando o dia com 0,35% de queda.

Assim sendo, para quem opera o dólar futuro, é importante acompanhar também outros pares de moedas, ou mesmo o desempenho do DXY, para evitar ser pego pelo BC, conforme ocorreu ontem.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos