Mercado fechará em 5 h 40 min
  • BOVESPA

    121.865,80
    +1.159,89 (+0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.290,37
    +461,06 (+0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,01
    +1,19 (+1,86%)
     
  • OURO

    1.837,30
    +13,30 (+0,73%)
     
  • BTC-USD

    50.593,96
    -40,43 (-0,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.409,03
    +50,47 (+3,71%)
     
  • S&P500

    4.155,91
    +43,41 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    34.263,98
    +242,53 (+0,71%)
     
  • FTSE

    7.027,35
    +64,02 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.246,00
    +145,75 (+1,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3943
    -0,0182 (-0,28%)
     

Dólar aproxima-se de R$ 5,30 e fecha no menor valor em dois meses

Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil*
·2 minuto de leitura

Em mais um dia de euforia no mercado financeiro, o dólar fechou no menor valor em dois meses, influenciado pelo cenário internacional e pela indicação de que o Banco Central (BC) pode aumentar as intervenções no câmbio. A bolsa de valores subiu pela terceira sessão seguida, encerrando no maior nível desde o fim de fevereiro.

O dólar comercial encerrou esta terça-feira (17) vendido a R$ 5,33, com recuo de R$ 0,107 (-1,97%). Foi a terceira sessão consecutiva de queda. No início das negociações, a cotação operou, em R$ 5,42, em leve baixa, mas desabou a partir do fim da manhã. Na mínima do dia, por volta das 14h30, a divisa chegou a ser vendida a R$ 5,32.

Além das notícias de avanços nas pesquisas sobre a vacina contra a covid-19, o mercado foi influenciado por comunicado divulgado ontem (16) à noite pelo Banco Central (BC), sobre a rolagem (renovação) de contratos de swap cambial. Essas operações equivalem a leilões de dólares no mercado futuro.

No texto, a autoridade monetária informou que renovará integralmente US$ 11,8 bilhões de contratos que venceriam em janeiro, como tem feito nos últimos meses. O comunicado, no entanto, deixou em aberto a possibilidade de que o BC “aumente a oferta, conforme as condições de mercado”, o que foi interpretado como possibilidade de que a autoridade monetária volte a leiloar novos contratos de swap tradicional, em vez de apenas os renovar, o que ajudaria a conter a volatilidade cambial no fim de ano.

No mercado de ações, o dia foi marcado pela euforia. O índice Ibovespa, da B3, fechou esta terça aos 107.249 pontos, com alta de 0,77%. O indicador está no maior nível desde 21 de março, quando tinha fechado em torno de 113 mil pontos.

Além da volta de investidores estrangeiros à bolsa, que aplicaram R$ 17,8 bilhões a mais do que retiraram na B3 em novembro, o indicador foi influenciado pela divulgação de lucros em várias companhias.

O Ibovespa subiu mesmo com a realização de lucros no mercado internacional. Nos Estados Unidos, os principais índices fecharam em leve queda, com investidores vendendo ações para embolsar ganhos depois da sessão de ontem. O Dow Jones (das empresas industriais) caiu 0,56%, o S&P 500 (das 500 maiores empresas) teve queda de 0,48%, e o Nasdaq Composite (das empresas de tecnologia) fechou em baixa de 0,21%. Ontem (16), o Dow Jones e o S&P 500 fecharam em máximas históricas.

*Com informações da Reuters