Mercado fechará em 6 h 26 min
  • BOVESPA

    110.618,21
    -1.097,79 (-0,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,54
    +0,80 (+1,02%)
     
  • OURO

    1.652,80
    -2,80 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    19.082,28
    +98,53 (+0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    436,82
    +3,72 (+0,86%)
     
  • S&P500

    3.690,93
    -2,30 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.516,84
    -73,57 (-0,25%)
     
  • FTSE

    6.964,90
    -53,70 (-0,77%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.374,50
    -2,25 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1388
    +0,0412 (+0,81%)
     

Dólar acelera alta frente ao real com piora externa após dados dos EUA

Notas de reais e dólares

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar acelerava seus ganhos frente ao real nesta terça-feira, depois que o humor dos mercados internacionais azedou na esteira de dados norte-americanos que podem aumentar a pressão para que o Federal Reserve siga agressivo em seu combate à inflação, mesmo diante de riscos de recessão.

Às 11:57 (de Brasília), o dólar à vista avançava 0,67%, a 5,0667 reais na venda. A moeda norte-americana saltou 0,91% no pico do dia, a 5,0790 reais, depois de mais cedo ter chegado a cair 0,50%, a 5,0080 reais, nível que não era visto desde o dia 13 de junho passado.

Na B3, às 11:57 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,70%, a 5,0685 reais.

A movimentação no mercado doméstico acompanhou reversão de perdas iniciais do índice do dólar contra uma cesta de pares fortes, que ganhava 0,35% por volta de 9h50 (de Brasília). No mercado de ações, os três principais índices de Wall Street operavam firmemente no vermelho, depois de uma abertura em alta. [.NPT]

A piora generalizada nos mercados globais ocorreu após dados mostrarem que a confiança do consumidor norte-americano se recuperou mais do que o esperado em agosto, enquanto as vagas de emprego em aberto nos Estados Unidos aumentaram em julho, sem dar sinais de que a demanda por mão de obra esteja desacelerando.

Ambos os dados devem manter o Federal Reserve firme em sua trajetória agressiva de aperto da política monetária, o que tende a beneficiar o dólar.

Alguns participantes do mercado alertavam para a possibilidade de volatilidade neste pregão devido à aproximação da formação da taxa Ptax de agosto, que acontecerá na quarta-feira.

A Ptax é uma taxa de câmbio calculada pelo Banco Central. No fim de cada mês, agentes financeiros costumam tentar direcioná-la para níveis mais convenientes às suas posições, sejam elas compradas ou vendidas em dólar, o que geralmente eleva a instabilidade.

(Por Luana Maria Benedito)