Mercado abrirá em 9 h 7 min
  • BOVESPA

    107.557,67
    +698,80 (+0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.918,28
    +312,72 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,98
    -0,07 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.790,80
    +6,10 (+0,34%)
     
  • BTC-USD

    50.515,41
    -229,01 (-0,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.307,26
    -14,02 (-1,06%)
     
  • S&P500

    4.686,75
    +95,08 (+2,07%)
     
  • DOW JONES

    35.719,43
    +492,40 (+1,40%)
     
  • FTSE

    7.339,90
    +107,62 (+1,49%)
     
  • HANG SENG

    24.043,67
    +60,01 (+0,25%)
     
  • NIKKEI

    28.774,05
    +318,45 (+1,12%)
     
  • NASDAQ

    16.392,25
    +74,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3514
    +0,0117 (+0,18%)
     

Dólar tem leve recuperação no dia após perdas da véspera, mas caminha para queda semanal

·2 min de leitura
Notas de 100 dólares

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar passava a subir em relação ao real, depois de registrar queda nos primeiros negócios desta sexta-feira, mas caminhava para encerrar a semana com perdas após progresso da PEC dos Precatórios no Congresso ser apontado como possível motivo de redução da incerteza fiscal doméstica.

Às 10:10, o dólar avançava 0,22%, a 5,4152 reais na venda, depois de chegar a cair 0,18% na mínima do dia, a 5,3933 reais.

Na B3, o dólar futuro de primeiro vencimento tinha ganho de 0,42%, a 5,437 reais.

A alta desta manhã vem depois de, na véspera, a divisa norte-americana à vista despencar 1,80%, a 5,4031 reais na venda, mínima para encerramento desde o início de outubro. É comum, depois de movimentos expressivos na taxa de câmbio, haver uma realização de lucros.

Investidores também estavam elevando a cautela antes de um final de semana prolongado, já que na segunda-feira os mercados domésticos permanecerão fechados devido a feriado, disse à Reuters Vanei Nagem, responsável pela mesa de câmbio da Terra Investimentos.

Mesmo com a recuperação desta manhã, a moeda norte-americana continuava a caminho de apresentar baixa de quase 2% em relação ao fechamento da última sexta-feira, o que Nagem atribuiu ao noticiário em torno da PEC dos Precatórios. Caso isso se confirme, o dólar registrará sua segunda semana consecutiva de perdas.

Investidores têm mostrado otimismo em relação ao andamento da PEC no Congresso desde terça-feira, quando foi aprovada em segundo pela Câmara dos Deputados. A proposta modifica a regra de pagamento dos precatórios --dívidas do governo cujo pagamento foi determinado pela Justiça-- e altera o prazo de correção do teto de gastos pelo IPCA.

Em meio à percepção de que o governo vai, de qualquer maneira, fornecer auxílio à população de 400 reais por família em 2022, quando o presidente Jair Bolsonaro deve tentar a reeleição, a PEC dos Precatórios passou a ser vista por muitos participantes do mercado como a alternativa de financiamento menos nociva à saúde das contas públicas.

Enquanto isso, no exterior, o índice do dólar rondava a estabilidade nesta sexta-feira, mas continuava em patamares elevados, acima da marca de 95,00, após dados de inflação norte-americanos desta semana elevarem as expectativas de aperto monetário mais cedo do que o esperado pelo Federal Reserve.

O índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos teve em 12 meses o maior avanço em 30 anos, levantando dúvidas sobre a visão de autoridades do banco central do país de que a inflação é "transitória". Caso o Federal Reserve eleve os custos dos empréstimos para esfriar as pressões sobre os preços, o dólar pode ser beneficiado globalmente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos