Mercado abrirá em 3 h 40 min

Dólar abre em leve alta; coronavírus e atividade industrial chinesa no radar

Jader Lazarini
Dólar abre em leve alta; coronavírus e atividade industrial chinesa no radar

O dólar iniciou a semana, nesta segunda-feira (2), com uma leve alta. O mercado segue instável após a divulgação de novas informações acerca do coronavírus (Covid-19).

Por volta das 9h20, o dólar variava positivamente a 0,045%, negociado a R$ 4,4831. Os mercados internacionais seguem atentos aos dados mais fracos que o esperado da atividade industrial da China.

Além disso, os investidores estão de olho na divulgação do Boletim Focus pelo Banco Central (BC), o qual rebaixou a previsão de crescimento da economia brasileira pela terceira semana consecutiva.

Covid-19

O Ministério da Saúde confirmou, no último sábado (29), o segundo caso de coronavírus no Brasil. Trata-se de um homem de 32 anos, que também esteve na Itália, a exemplo do primeiro caso confirmado na última semana.

O paciente atestado com a doença esteve na Lombardia, um dos locais mais afetados pela epidemia na Itália, e retornou a São Paulo na última quinta-feira (27). Quando apresentou febre, tosse e dor de cabeça e garganta, foi atendido pelo hospital Albert Einstein no dia seguinte.

Além disso, nesta segunda-feira foi registrado o primeiro caso do coronavírus em Portugal. A vítima é um homem de 60 que viajou recentemente ao Norte da Itália, onde está a concentração da epidemia na Europa, onde 31 países já registraram a chegada do vírus.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até o último sábado, já haviam sido confirmados 85,4 mil casos em 55 países, matando 2,9 mil pessoas. 97% das mortes e 93% dos casos confirmados são oriundos do território chinês.

Atividade industrial chinesa

A atividade industrial da China caiu para uma mínima histórica em fevereiro de 2020. A redução foi impulsionada pela epidemia de coronavírus. As informações foram divulgadas no último sábado (29) pelo Escritório Nacional de Estatísticas da China (NBS, na sigla em inglês).

De acordo com escritório, com os impactos da epidemia, o Índice de Gerente de Compras (PMI) em fevereiro foi de 35,7 pontos ante 50 pontos do mês anterior. Quando o indicador está acima de 50, representa uma expansão da atividade industrial. Entretanto, quando está abaixo, como registrado no mês passado, representa uma contração.

Veja também: Os cinco principais riscos à economia global em 2020

O número apresentado pelo governo chinês está abaixo das previsões dos analistas. A estimativa dos especialistas consultados pela agência de notícias "Bloomberg" era de 45 pontos, enquanto o jornal "The Wall Street Journal" apontava um índice de 43 pontos.

Ademais, o PMI registrado no mês de fevereiro é inferior ao nível alcançado durante a crise econômica mundial instaurada em 2008. Na época, o indicador variou entre 38,8 e 45,3 pontos.

Previsão do PIB

Os especialistas que contribuem para a elaboração do Boletim Focus diminuíram a previsão do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2020 pela terceira semana consecutiva. Para eles, a economia do Brasil crescerá 2,17%, ante a 2,20% na semana passada.

Na primeira leitura do Boletim Focus deste ano, a economia do País iria crescer 2,30%. A previsão permaneceu a mesma até três semanas atrás, quando passou a ser cortada.

Além disso, a expectativa pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para este ano, de acordo com a divulgação do BC, foi cortada pela nona semana consecutiva. A inflação de 2020 será de 3,19%. Na última semana, a estimativa era de 3,20%.

Última cotação do dólar

Na última sessão, sexta-feira (28), o dólar encerrou o pregão em alta de 0,134%, negociado a R$ 4,4811 na venda.