Mercado abrirá em 6 h 22 min
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,83
    +2,68 (+3,93%)
     
  • OURO

    1.795,80
    +7,70 (+0,43%)
     
  • BTC-USD

    57.324,55
    +2.955,09 (+5,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.432,23
    -23,18 (-1,59%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    23.821,59
    -258,93 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.292,98
    -458,64 (-1,60%)
     
  • NASDAQ

    16.209,00
    +158,00 (+0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2980
    -0,0505 (-0,80%)
     

Dólar à vista fecha em queda de 1,45%, a R$5,5891

·1 min de leitura
Notas de cem dólares

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar registrou a maior queda em um mês nesta quarta-feira, ficando abaixo de 5,60 reais ao fim de um dia que contou com avaliação de um Banco Central brasileiro mais duro e a confirmação de corte de estímulos pelo BC dos EUA, mas sem sinais de alta em breve dos juros por lá.

O real galgou o melhor desempenho entre as principais divisas globais nesta sessão. O imbróglio em Brasília sobre a votação da PEC dos Precatórios seguiu no radar, mas dividiu atenções com notícias da política monetária aqui e lá fora.

O dólar à vista fechou em baixa de 1,45%, a 5,5891 reais, após variar de 5,701 reais (+0,53%) a 5,5776 reais (-1,65%).

A queda no encerramento é a mais intensa desde 1º de outubro (-1,47%).

Lá fora, o dólar caía 0,22% no fim da tarde ante uma cesta com rivais de países ricos.

(Por José de Castro)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos