Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.560,83
    +362,83 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,88 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,95
    +0,50 (+0,57%)
     
  • OURO

    1.719,90
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.909,23
    -271,06 (-1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,11
    -7,01 (-1,51%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,96 (-1,15%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,85 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.498,75
    -43,00 (-0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0952
    -0,0410 (-0,80%)
     

Custos de ter um carro aumentaram em 17% nos últimos 12 meses

·2 min de leitura
Preço dos carros e moto subiu cerca de 20% nos últimos 20 meses
Preço dos carros e moto subiu cerca de 20% nos últimos 20 meses
  • Aumento no valor de venda e no combustível foram os principais responsáveis ela alta;

  • Levantamento foi realizado a partir de dados da FGV;

  • Modelos hatchback estão sendo vendidos, em média, 27,4% mais caros do que em 2016.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), os automóveis apresentaram um aumento de 17,03% entre março de 2021 e março de 2022. Os cálculos foram feitos a partir do IPC-10 (Índice de Preços ao Consumidor - 10), que mede a variação dos preços de um conjunto de bens utilizando como base a primeira quinzena dos meses.

O levantamento incluiu preços de veículos, como carros e motos, de combustíveis, serviços de manutenção, peças, multas e tarifas públicas, como licenciamentos e transferências. O resultado de 17,03% ficou acima da inflação do período, que segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), fechou março de 2022 em 10,79%.

Essa escalada nos custos pode ser explicada através de dois eixos fundamentais. O primeiro é o aumento dos preços do petróleo nos mercados internacionais, que elevou vertiginosamente o preço dos combustíveis e do gás de cozinha (GLP) no Brasil. O preço, que já vinha subindo durante os meses da pandemia, atingiu seu auge devido ao conflito na Ucrânia, atingindo o valor de US$ 115 por barril.

Em segundo lugar está a valorização dos automóveis, que já acumulam uma alta de 20%, de acordo com dados do IBGE. O carro zero quilômetro está saindo das lojas 22,94% mais caro do que há 18 meses atrás. O usado, por sua vez teve um aumento de 22,66% em 20 meses. Já as motocicletas tiveram um aumento de 17,72% também nos últimos 20 meses.

Essa alta não foi somente um repasse da inflação do setor, pelo contrário, as empresas montadoras estão tentando recuperar agora o lucro perdido durante o período de pandemia. O preço médio de um hatchback, categoria mais popular, está em média R$ 79 mil. Em 2016 a média do preço era de R$ 48 mil, que se ajustado para inflação do período, deveria ficar em R$ 62 mil, 27,4% mais barato do que o preço atual de mercado.