Custo de vida em SP subiu mais na última década, diz EIU

A edição da revista The Economist que chega às bancas esta semana trás o índice de custo de vida apurado pela Economist Intelligence Unit (EIU), uma das empresas do grupo. De acordo com a apuração feita em dezembro do ano passado, Tóquio continua mantendo sua posição de cidade mais cara do mundo. Na última década, o custo de vida caiu principalmente em Detroit e na Cidade do Panamá, e ficou mais elevado em Caracas, que ocupa a 9º posição, e São Paulo em 43º lugar.

A cidade japonesa manteve esse posto por 14 vezes nos últimos 20 anos, apenas Zurique - que ano passado ocupou o primeiro lugar devido à moeda forte -, Paris e Oslo já ocuparam esse lugar durante o mesmo período. O índice leva em conta a média de preços de 160 produtos e serviços e um conjunto de 100 valores de Nova York são usados como base de comparação.

A cidade de Nova York se tornou mais cara e agora ocupa o 27º lugar no ranking de 131 cidades, 19 deles acima da posição de um ano atrás. Genebra, na 10º posição, e Zurique, em 7º lugar, registraram as maiores quedas ano passado, em grande parte devido aos esforços da Suíça para enfraquecer sua moeda, o franco.

O que explica porque Caracas é uma das dez cidades mais caras do mundo e o fato de o bolívar estar atrelado ao dólar. Entretanto, ao usar a taxa de câmbio paralela que é mais fraca e levar em conta a inflação alta do país, Caracas ficaria junto com Mumbai e Karachi na 130º posição.

Carregando...