Mercado fechará em 4 h 51 min
  • BOVESPA

    131.009,88
    +1.568,85 (+1,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.073,08
    -213,38 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,54
    +0,63 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.868,50
    -11,10 (-0,59%)
     
  • BTC-USD

    40.540,19
    +4.599,44 (+12,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.007,40
    +38,56 (+3,98%)
     
  • S&P500

    4.239,91
    -7,53 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.317,34
    -162,26 (-0,47%)
     
  • FTSE

    7.167,37
    +33,31 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.021,00
    +26,75 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1362
    -0,0564 (-0,91%)
     

Custo de vida pode variar até 14% nas cidades brasileiras

·2 minuto de leitura
Feita pela mundial Mercer, a pesquisa
Feita pela mundial Mercer, a pesquisa "Custo de Vida Nacional" revela que o Rio de Janeiro concentra categorias com percentual mais caro para o bolso dos moradores.

Um estudo feito em 16 cidades brasileiras mostrou que o custo de vida no Brasil pode variar até 14%. Feita pela mundial Mercer, a pesquisa "Custo de Vida Nacional" revela que o Rio de Janeiro concentra categorias com percentual mais caro para o bolso dos moradores. Para comparar, São Paulo foi a cidade escolhida como base, pelo fato de a metrópole ser o maior centro comercial do Brasil.

Na categoria "serviços domésticos", que inclui itens como diária para limpeza, babá e serviços de lavanderia, é a mais cara. A cidade de Porto Alegre (RS), por exemplo, é a mais cara nesta categoria, com custo de vida 7% maior que em São Paulo; Fortaleza (CE) e Recife (PE) registram um custo menor nesta categoria sendo 34% abaixo da média paulista.

Leia também:

Para comer fora de casa no Rio de Janeiro (RJ) o custo fica 4% maior que o praticado em São Paulo. O menor custo nessa categoria é em Fortaleza, com -32%. A Cidade Maravilhosa também Rio de Janeiro lidera como a mais cara nas categorias cuidados pessoais e roupas e calçados, nos dois casos com valores 11% acima.

Manaus (AM) lidera como a cidade mais cara para a prática esportiva e de lazer (16%), seguida por Camaçari (13%), Balneário Camboriú/SC e São José dos Campos/SP (6%). A capital amazonense aparece também como a que tem menor consumo de álcool e tabaco (-25%).

Serviços de utilidade pública, que inclui itens como energia elétrica e telefonia, podem variar em até 30%, entre a cidade mais barata e a mais cara. A cidade de Curitiba (PR) é mais cara (28%), seguida Fortaleza (20%), por Rio de Janeiro (18%), Belo Horizonte (MG) e Campo Grande (MS) (17%). Essa cesta é menos dispendiosa em Camboriú (SC) (-2%).

Os itens questionados aos entrevistados foram Serviços Domésticos; Refeição fora de casa; Esporte e Lazer; Cuidados Pessoais; Álcool e Tabaco; Roupas e Calçados; Refeição em casa; Serviços de utilidade pública; Suprimentos Domésticos; e Transporte.