Mercado abrirá em 7 h 40 min
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,45
    -1,05 (-1,34%)
     
  • OURO

    1.631,20
    -5,00 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    18.715,80
    -1.283,16 (-6,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    428,30
    -30,83 (-6,72%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.984,59
    -36,36 (-0,52%)
     
  • HANG SENG

    17.438,61
    -421,70 (-2,36%)
     
  • NIKKEI

    26.025,83
    -546,04 (-2,05%)
     
  • NASDAQ

    11.221,75
    -112,00 (-0,99%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1400
    -0,0199 (-0,39%)
     

Curva de Treasuries americanos registra outra inversão do século

(Bloomberg) -- Os yields do Tesouro americano registraram a maior inversão do século em mais um trecho da curva na quinta-feira.

Um dia após a curva de dois a 30 anos atingir o maior spread negativo desde 2000, na quinta foi a vez do trecho de cinco a 30 anos, com o título mais curto chegando a render 0,20 ponto percentual a mais que o mais longo.

Isso superou a máxima anterior de 14 de junho, quando a inversão chegou a mais de 0,18 ponto percentual em uma liquidação desencadeada por dados de inflação piores do que o esperado que reorientaram as expectativas de aperto monetário do Federal Reserve.

A inversão mais acentuada da curva “foi impulsionado pela retórica agressiva do banco central, apoiada pelo CPI mais forte do que o esperado e a força em outros dados de crescimento”, disse Alex Li, chefe de estratégia de taxas dos EUA no Crédit Agricole, se referindo ao índice de preços ao consumidor americano. Os níveis de agosto divulgados em 13 de setembro revigoraram a tendência, pois levaram os operadores a precificar uma ação mais agressiva do Fed.

Os yields das notas do Tesouro americano de dois a cinco anos subiram para máximas de vários anos nesta semana. Os rendimentos de vencimento mais longos subiram menos, pois a perspectiva de taxas de juros do Fed superiores a 4% alimenta “preocupações do mercado sobre a desaceleração do crescimento no final deste ano ou no início de 2023”, disse Li.

Concomitantemente com a inversão acentuada da curva, o pico esperado para a taxa básica do Fed implícito nos contratos de swap aumentou para até 4,5%, o valor do contrato de março de 2023. Depois se estabilizou em torno de 4,45%.

A precificação do pico já aumentou um ponto percentual desde a última reunião de política monetária do Fed em julho, quando o intervalo de referência foi estabelecido em 2,25% a 2,5%. O limite superior do intervalo da meta do Fed foi elevado pela última vez para 4,5% em 2006.

Os dados do CPI de agosto levaram o mercado a precificar totalmente outro aumento de 0,75 ponto percentual em 21 de setembro, a próxima data de decisão do Fed, e a dar algumas chances de um aumento de um ponto percentual inteiro.

O BC americano já elevou juros quatro vezes desde março em resposta à aceleração da inflação. Os aumentos das taxas seguem um período de dois anos em que o limite inferior da meta foi de 0%.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.