Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,40
    -1,85 (-2,49%)
     
  • OURO

    1.799,00
    +16,60 (+0,93%)
     
  • BTC-USD

    16.850,24
    -146,08 (-0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    394,86
    -7,18 (-1,79%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.489,19
    -32,20 (-0,43%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.498,75
    -67,25 (-0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4669
    -0,0118 (-0,22%)
     

Por que o Ford Fiesta tinha esse nome?

Ford Fiesta, um dos modelos mais icônicos e de maior presença da montadora americana, terá sua produção definitivamente encerrada em junho de 2023 (Photo by National Motor Museum/Heritage Images/Getty Images)
Ford Fiesta, um dos modelos mais icônicos e de maior presença da montadora americana, terá sua produção definitivamente encerrada em junho de 2023 (Photo by National Motor Museum/Heritage Images/Getty Images)
  • Nome Fiesta era de propriedade da GM, mas Henry Ford II recebeu autorização para utilizá-lo;

  • Projeto original do Fiesta tinha o nome de "Bravo";

  • Fim da produção do Fiesta faz parte de uma reestruturação da Ford que foca na produção de veículos elétricos e softwares.

O Ford Fiesta, um dos modelos mais icônicos e de maior presença da montadora americana, terá sua produção definitivamente encerrada em junho de 2023 após 46 anos de história. O que poucos sabem é a origem desse nome em espanhol.

Segundo informações do portal Razão do Automóvel, o projeto foi apresentado inicialmente com o nome de Bravo, escolhido pela equipe de marketing da Ford. "Fiesta" até estava na lista, mas foi rejeitado pelos executivos quando souberam que este era propriedade da General Motors. Inclusive, um carro lançado pela GM entre as décadas de 1950 e 1960 foi batizado com esse nome.

Algum tempo depois, antes ainda do lançamento do modelo, a GM abriu mão do nome e permitiu que Henry Ford II, presidente da Ford na época, pudesse usá-lo. Como o período coincidia com a abertura da nova fábrica da montadora em Valência, na Espanha, e o modelo seria produzido por lá, os executivos decidiram destacar as origens latinas do carro pelo nome.

O fim da produção do Fiesta faz parte de uma reestruturação da Ford que foca na produção de veículos elétricos e softwares, de forma a acirrar a competição com a Tesla, do bilionário Elon Musk.

Segundo Jim Farley, presidente-executivo da fabricante, atualmente não há um número suficiente de funcionários com os conhecimentos necessários para atuar em uma empresa que tem mudado seu modelo tradicional para apostar em veículos elétricos e serviços digitais.

“Estamos eliminando postos, reorganizando e simplificando funções em toda a empresa. Você ouvirá mais detalhes dos líderes de sua área de negócios nesta semana”, escreveram Farley e o presidente da Ford, Bill Ford. As informações são da Forbes.

O objetivo da Ford é gerar mais receita com serviços que dependem de software digital e conectividade, uma vez que, por enquanto, a estrutura de custos da empresa “não é competitiva em relação aos concorrentes tradicionais e novos”, apontou no e-mail.