Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    60.359,97
    -1.198,03 (-1,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Cúmplice de "Faraó dos bitcoins" é preso

·1 minuto de leitura
Michael de Souza Magno era um dos foragidos da Operação Kryptos II.
Michael de Souza Magno era um dos foragidos da Operação Kryptos II.
  • Michael era um de dois foragidos da Operação Kryptos II

  • O operador prometia rendimentos de 10%, bem acima da média

  • Suspeito teria movimentado quase RS$10 milhões em menos de 6 meses.

Capturado nesta terça-feira (12) na Rodovia Castelo Branco, em São Paulo, Michael de Souza Magno era um dos foragidos da Operação Kryptos II. Também conhecido como "corretor das estrelas", Michael era um importante corretor e operador da GAS Consultoria, empresa de Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó das Bitcoins".

Preso a bordo de um Jaguar, Michael foi encaminhado a um presídio paulista e deverá ser transferido para o Rio nesta quarta-feira (13). O operador, que prometia 10% de rendimentos em investimentos em criptomoedas, é acusado de fraude contra o sistema financeiro nacional.

Leia também:

Embora os investigadores pontuem que não há vínculo formal entre o corretor e Glaidson, segundo a Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF), foram descobertas compras feitas por Michael onde o endereço de entrega é o do próprio Glaidson.

Em 2021, o investigado declarou um patrimônio de R$293 mil, além de bens e rendimentos tributáveis de mais de R$32 mil, porém segundo o MPF, entre novembro de 2020 e fevereiro de 2021, ele teria movimentado mais de R$ 9,6 milhões em uma única conta corrente.

Michael de Souza Magno foi denunciado em 5 de outubro e a 3ª Vara Federal Criminal do Rio o tornou réu junto com Glaidson e outras 16 pessoas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos