Mercado fechará em 2 h 56 min
  • BOVESPA

    108.147,68
    +1.480,02 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.836,03
    -396,17 (-0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,06
    +1,63 (+1,91%)
     
  • OURO

    1.838,20
    +25,80 (+1,42%)
     
  • BTC-USD

    42.009,80
    +388,39 (+0,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    997,79
    +3,04 (+0,31%)
     
  • S&P500

    4.576,25
    -0,86 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    35.310,60
    -57,87 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.582,07
    +18,52 (+0,24%)
     
  • HANG SENG

    24.127,85
    +15,07 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    27.467,23
    -790,02 (-2,80%)
     
  • NASDAQ

    15.183,50
    -22,50 (-0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2163
    -0,0908 (-1,44%)
     

Cuba exigirá que viajantes completem o esquema vacinal contra a covid

·2 min de leitura
Criança recebe dose da vacina cubana Soberana Plus, em 24 de agosto de 2021, em Havana (AFP/ADALBERTO ROQUE)

Cuba anunciou nesta quinta-feira (30) que a partir de 5 de janeiro os viajantes que entrarem na ilha deverão comprovar que completaram o esquema de vacinação anticovid, como parte de um pacote de medidas para proteger o país do avanço da variante ômicron.

Desde novembro, quando Cuba reabriu suas fronteiras, os turistas estrangeiros não vacinados podiam entrar no país com um teste PCR feito com 72 horas de antecedência. Agora "será obrigatório apresentar esquema de vacinação completo no ponto de entrada", além do PCR com "resultado negativo" realizado 72 horas antes", afirmou o Ministério da Saúde (Minsap) em seu site.

A nota especificou que crianças menores de 12 anos e adultos que, por motivos médicos comprovados, não possam ser vacinados 'não necessitarão do esquema vacinal completo'.

As novas regras se somam às que o Minsap havia adotado no final de novembro, quando determinou uma quarentena de uma semana para viajantes de oito países africanos (África do Sul, Lesoto, Botsuana, Zimbábue, Moçambique, Namíbia, Malauí e Eswatini ou Suazilândia), após o aparecimento da ômicron.

Desde então, os viajantes desses países passam por um teste de PCR na chegada a Cuba e outro no sétimo dia de quarentena e, se negativo, podem sair no oitavo dia.

Medida semelhante agora será aplicada aos estudantes, técnicos e colaboradores estrangeiros que chegam ao país, além dos cubanos residentes na ilha que o fazem sem o esquema completo de vacinação.

O Minsap também anunciou que não haverá atividades que gerem multidões durante as festividades de final de ano.

Com suas três vacinas nacionais - ainda não reconhecidas pela OMS - Cuba conseguiu superar o momento mais crítico da pandemia registrado entre julho e setembro.

A ilha, com 11,2 milhões de habitantes, acumula 965.571 infecções e 8.322 mortes.

Segundo informações do Minsap, até o momento um total de 9,6 milhões de cubanos completaram seu esquema de vacinação, o que equivale a 91% da população imunizada.

Diante do aumento das infecções e com 44 casos de ômicron detectados até a última segunda-feira, Cuba acelera o reforço que começou neste mês. Estas doses foram aplicadas a mais de um milhão de pessoas.

rd/lp/lda/jc/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos