Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.786,43
    +113,67 (+0,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.298,20
    -104,50 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,25
    +0,38 (+0,45%)
     
  • OURO

    1.783,10
    -1,80 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    66.038,89
    +1.919,14 (+2,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.538,50
    +57,70 (+3,90%)
     
  • S&P500

    4.536,19
    +16,56 (+0,37%)
     
  • DOW JONES

    35.609,34
    +152,03 (+0,43%)
     
  • FTSE

    7.223,10
    +5,57 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.353,25
    -24,25 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5196
    +0,0234 (+0,36%)
     

Cuba aprova primeiras 32 empresas privadas

·1 minuto de leitura
Nelsa Beaton produz cesto de vime em 20 de setembro de 2021 em Havana (AFP/ADALBERTO ROQUE)

O Ministério da Economia de Cuba anunciou nesta quarta-feira a aprovação das primeiras 32 micro, pequenas e médias empresas privadas e de três estatais, nove dias após a aplicação da tão esperada reforma em uma economia majoritariamente estatal.

“A medida autoriza a criação desses novos atores econômicos, que já podem proceder à sua constituição como pessoas jurídicas, para exercer suas atividades econômicas", informa o ministério em nota divulgada pela imprensa local.

As novas empresas provêm de 11 das 15 províncias do país. Entre elas, 13 serão dedicadas à produção de alimentos, seis à indústria, três estão relacionadas a atividades de reciclagem, e outras três, a atividades tecnológicas.

Vinte delas são uma reconversão do trabalho autônomo, até agora a única forma de trabalhar no setor privado, para a nova forma de gestão não estatal, enquanto as outras 15 são de nova criação, acrescenta a nota.

“Os demais pedidos (apresentados desde o dia 20) estão em tramitação. Até agora, nenhum foi negado”, informou o Ministério da Economia, responsável pela aprovação.

Depois de anos de espera, que provocaram descrença entre os interessados, o governo colocou em vigor as leis de funcionamento das "mipymes", bem como as das cooperativas não agrícolas.

Com uma economia 85% estatal, grande parte dos mais de 600 mil autônomos - baseados no setor de serviços: restaurantes, transporte e conserto de equipamentos - devem ser a fonte principal das micro, pequenas e médias empresas privadas, que desapareceram do país em 1968, quando Fidel Castro começou a aderir ao modelo estatal soviético e as nacionalizou na "ofensiva revolucionária".

cb/ka/lm/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos