Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    55.081,07
    +82,07 (+0,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Crypto Weekend: 5 à 7 de novembro

·4 min de leitura

PL sugere criptoativos como pagamento de salários no Brasil

O Deputado Federal Luizão Goulart (Republicanos – PR), encaminhou à Câmara dos Deputados uma proposta de lei que permitiria aos trabalhadores de todo o Brasil receberem parte de seus salários por meio de criptomoedas– inicialmente, com enfoque em Bitcoins (BTC) – sobre as condições estabelecidas em acordos feitos entre empregados e empregadores. O projeto ainda está em suas primeiras discussões para que siga avançando na Câmara.

Os ativos dessa natureza ainda não têm curso reconhecido legalmente no país. Entretanto, nos últimos dois meses a conversa dos deputados em torno do projeto de lei 2303/15, que visa promover a regularização de criptos na economia brasileira, movimentou as pautas dos legisladores e agora começa a ampliar o alcance promovido pelo seu debate.

A proposta feita por Goulart foi oficializada dias depois de políticos de outros países também indicarem a possibilidade. Destaque para os Estados Unidos, onde prefeitos de duas das principais cidades do país – Nova Iorque e Miami – declararam a intenção de receberem seus pagamentos em Bitcoins e abrindo as portas para a mudança em outras classes de trabalhadores.

Regulamentação de criptos nos EUA volta a avançar, mas gera atrito

Falando em Estados Unidos e medidas regulatórias, as propostas feitas pelo senado americano acerca das criptomoedas e sua integração na economia nacional voltaram a avançar voltam a avançar após ter diminuído o ritmo nas últimas semanas.

Apesar do progresso do projeto já significar um marco histórico para as criptomoedas por si só enquanto aborda também pontos de melhora da estrutura de sistemas e da própria internet no país (não à toa, o projeto estipula orçamento de US$ 1 trilhão para seu pleno funcionamento), o texto sofre com críticas da comunidade apoiadora das moedas virtuais nos EUA.

De acordo com o Senador Pat Toomey, que lidera o grupo dos apoiadores dos criptoativos contrários à atual proposta, o texto vai contra os princípios da inovação tecnológica.

Toomey aponta que isso se deve ao fato do projeto não somente ao aproximar as movimentações de criptos da taxação tradicional, mas também por exigirem informações pessoais desnecessárias para as transações das moedas virtuais e contrariar boa parte do funcionamento de exchanges e carteiras virtuais – que mesmo sem regularização oficial, nunca foram apontadas como criminosas.

O primeiro projeto de lei mais concreto já elaborado sobre o assunto já foi aprovado em maioria tanto por democratas quanto por republicanos. Agora, aguarda o veredito do presidente Joe Biden.

Shiba Inu vai sobrevivendo seu batismo de fogo

E a Shiba Inu (SHIB) segue firme, mesmo vivendo uma montanha russa de emoções e valores. Após ser a grande estrela da reta final de outubro, passou por baixas consideráveis logo na primeira semana de setembro.

Fato é que a memecoin e sua fiel comunidade de apoiadores vem sobrevivendo bem ao primeiro momento mais turbulento pelo qual SHIB passa. Durante o sábado (6), ganhou força no Twitter, no Reddit e em outras plataformas, comparações entre a Shiba Inu e outras criptomoedas de destaque.

A postagem que teve mais alcance foi feita pelo analista John Erlichman, que colocou lado a lado até onde investimentos de US$ 1000 teriam chegado caso feitos exatamente em 6 de novembro de 2020. Enquanto o montante investido em Shiba Inu ultrapassaria os US$ 740 milhões, o segundo colocado, Axie Infinity (AXS) passaria por pouco os US$ 1 milhão.

A onda de positividade, somada ao reforço da Shib Army na ideia de segurar seus investimentos no ativo, ajudou a estabelecer resistência mais segura – na casa dos US$ 0,00055 – após o brusco movimento de queda que chegou aos US$ 0,000044 durante a última quinta-feira (4).

Agora, a armada de investidores volta seus olhos para a RobinHood, exchange que teve momentos de glória e de represália durante a revolução da GameStop, mas que segue consideravelmente popular.

Uma petição feita durante o fim de semana, que visa a adesão da SHIB junto às opções de criptomoedas da plataforma, já conta com mais de 500 mil assinaturas a seu favor. Caso ocorra a adesão, podemos estar testemunhando mais um passo extremamente positivo da Shiba Inu rumo à estabilização de seu sucesso.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos