Mercado fechará em 3 h 33 min
  • BOVESPA

    101.273,14
    +13,39 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.377,47
    -330,25 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,31
    -1,54 (-3,86%)
     
  • OURO

    1.905,50
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    13.123,57
    +46,55 (+0,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    261,99
    -1,42 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.396,96
    -68,43 (-1,97%)
     
  • DOW JONES

    27.672,30
    -663,27 (-2,34%)
     
  • FTSE

    5.815,36
    -44,92 (-0,77%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.486,75
    -176,75 (-1,52%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6477
    -0,0162 (-0,24%)
     

Cruzeiro do Sul Educacional pede registro para IPO

Por Aluisio Alves
·1 minuto de leitura

Por Aluisio Alves

(Reuters) - O grupo privado de ensino superior Cruzeiro do Sul pediu nesta quarta-feira registro para uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), de acordo com documento na Comissão de Valores Mobiliários.

Fundada em 1965 e com sede em São Paulo, a companhia se apresenta como o quarto maior grupo privado de ensino superior em número de alunos no Brasil. Além da própria Cruzeiro do Sul, a empresa é dona de marcas como Unicid, UDF, Módulo, Universidade Positivo e Braz Cubas.

A operação servirá tanto para a empresa captar recursos quanto para dar saída a investidores em fundos geridos pela BRL Trust e pela Magnetis, e será coordenada por BTG Pactual, Bradesco BBI, Bank of America, Morgan Stanley e Santander.

A Cruzeiro do Sul afirma no prospecto preliminar da oferta que pretende usar 93% dos recursos da oferta primária para fazer aquisições. "A estratégia tem o objetivo de expandir o nosso portfólio de marcas e a entrada em mercados onde não atuamos", diz a empresa no documento.

O anúncio acontece em meio a um esfriamento parcial do entusiasmo de empresas brasileiras para captarem recursos no mercado acionário para financiar planos de crescimento.

Nas últimas semanas, diante da volatilidade do mercado de renda variável, com o Ibovespa caindo em agosto e em setembro, levando várias empresas a suspenderem planos de listagem na bolsa paulista ou aceitarem preços menores do que os esperados inicialmente para venderem suas ações.