Mercado fechará em 5 h 9 min
  • BOVESPA

    106.031,28
    -331,82 (-0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.707,32
    -7,28 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,15
    -0,51 (-0,62%)
     
  • OURO

    1.802,90
    +4,10 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    61.398,77
    +2.286,86 (+3,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,56
    +61,18 (+4,31%)
     
  • S&P500

    4.579,89
    +28,21 (+0,62%)
     
  • DOW JONES

    35.672,64
    +181,95 (+0,51%)
     
  • FTSE

    7.240,60
    -12,67 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    25.555,73
    -73,01 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    28.820,09
    -278,15 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    15.657,50
    +70,25 (+0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5197
    +0,0950 (+1,48%)
     

Cruise prevê receita de US$ 50 bi com robotáxis: Fontes

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A unidade de veículos autônomos Cruise, controlada pela General Motors, dirá a investidores esta semana que vê um caminho para seu negócio de aplicativo de transporte atingir US$ 50 bilhões em receita nos próximos dois anos, disseram pessoas a par do assunto.

Most Read from Bloomberg

A expectativa é de que o diretor-presidente da Cruise, Dan Ammann, diga que a empresa planeja cobrar pelas viagens já no próximo ano e que poderia se expandir em 2023 se a empresa receber luz verde de reguladores da Califórnia.

A operação será destaque na apresentação da GM em 6 e 7 de outubro para convencer investidores de que a aposta em veículos elétricos, software autônomo e tecnologias conectadas em breve começará a aumentar a receita da montadora, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas.

Cobrar por serviços de veículos autônomos seria um passo significativo para a Cruise e outras empresas que gastaram bilhões no desenvolvimento da tecnologia e licença regulatória para operar carros sem um motorista humano. O avanço tecnológico e conseguir aprovações para a direção robótica demoraram mais do que o previsto, atrasando a geração de receitas para as startups. A Cruise teve que desistir dos planos de operar robotáxis em 2019 porque precisava de mais tempo para controles de desempenho e segurança.

A Cruise, na qual a GM tem participação majoritária, espera começar a cobrar pelas viagens no próximo ano com uma versão modificada do carro elétrico Chevrolet Bolt. Ammann deve dizer que, se as aprovações da Comissão de Concessionárias Públicas da Califórnia forem obtidas, a empresa poderá começar a oferecer serviços de aplicativo de transporte em 2023 com seu veículo de direção autônoma Origin. O modelo será fabricado em conjunto com as versões elétricas da Hummer e da picape Chevrolet Silverado na fábrica da GM em Detroit-Hamtramck.

Ammann planeja mostrar como a Cruise pode aumentar a receita para US$ 50 bilhões ou mais e fornecer aos analistas detalhes sobre o custo por milha para consumidores. A apresentação mostrará como algumas empresas de renome levaram anos para obter esse nível de receita, disseram as pessoas.

A GM disse que a Cruise teve receita de US$ 55 milhões no primeiro semestre. A empresa cobra por serviços de entrega em Phoenix e obtém vendas de licenciamento por meio da Honda. A GM divulgou prejuízo de US$ 561 milhões no primeiro semestre atribuível à Cruise.

Um porta-voz da GM não quis comentar sobre a apresentação da Cruise.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos