Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.792,30
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.811,62
    +898,79 (+2,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

Crocs comprará marca de calçados Heydude por quase R$ 15 bilhões

·2 min de leitura
Consumidores 'presos' em casa durante lockdown do ano passado trocaram os sapatos sociais por calçados mais confortáveis, beneficiando empresas como a Crocs (REUTERS/Gaelen Morse)
Consumidores 'presos' em casa durante lockdown do ano passado trocaram os sapatos sociais por calçados mais confortáveis, beneficiando empresas como a Crocs (REUTERS/Gaelen Morse)
  • Aumento de home office impulsionou uso de calçados como Crocs

  • Negócio prevê pagamento de quase R$ 12 bilhões em dinheiro

  • Empresa deve faturar mais de R$ 3 bilhões em receita em 2021

Na última quinta-feira (23), a Crocs disse que compraria a marca privada Heydude por cerca de R$ 15 bilhões (US$ 2,5 bi) já que a fabricante de calçados de borracha pretende lucrar com o aumento da demanda por sapatos casuais. “Esta é uma boa aquisição da Crocs. Heydude teve um forte desempenho durante a pandemia, embora um tanto fora do radar”, disse Matt Powell, consultor sênior da indústria de esportes no NPD Group.

Leia também:

"Grande negócio"

Os diversos tipos de lockdown - que culminou no aumento de home offices ao redor do mundo - fez com que os consumidores 'presos' em casa trocassem os sapatos sociais por calçados mais confortáveis, beneficiando empresas como a Crocs e a proprietária da marca Ugg, Deckers Outdoor Corp. Apesar do otimismo, as ações da Crocs, com sede no Colorado, caíram quase 13% na última tarde. 

“Acho que é um grande negócio para a Crocs e isso geralmente deixa os investidores nervosos. Acho que no curto prazo isso terá um impacto nas margens à medida que se fundem e otimizam os processos ”, disse Zachary Warring, analista da CFRA Research.

Pagamento

Isolada das restrições de produção causadas pelo fechamento de fábricas no Vietnã, já que fabrica predominantemente seus calçados na China, a Heydude acabou sendo afetada por problemas de frete globais e viu atrasos significativos e custos elevados em termos de envio de seus produtos aos Estados Unidos - de acordo com o presidente-executivo da Crocs, Andrew Rees.

O que acabou viabilizando o negócio, que seria de quase R$ 12 bilhões (US$ 2,05 bi) em dinheiro, financiados principalmente por um empréstimo a prazo, e R$ 2,5 bilhões (US$ 450 mi) em ações da Crocs emitidas para o fundador e presidente-executivo da Heydude, Alessandro Rosano.

A Heydude

Fundada na Itália em 2008, a empresa de calçados gera cerca de 43% de suas vendas em canais online, disse a Crocs. A companhia, conhecida por seus sapatos casuais leves, deve faturar mais de R$ 3 bilhões (US$ 570 mi) em receita em 2021. Em comparação, a Crocs, que gera 37% de suas vendas por meio de sua divisão de e-commerce, previu em outubro que sua receita de 2021 crescerá entre 62% e 65% dos quase R$ 8 bilhões (US$ 1,39 bi) registrados no ano passado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos