Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,14
    +0,18 (+0,22%)
     
  • OURO

    1.767,80
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    64.163,91
    +1.994,87 (+3,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.487,16
    +23,80 (+1,63%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.420,10
    +204,58 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    15.398,00
    -0,50 (-0,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5085
    +0,0123 (+0,19%)
     

Croc acusa Rensga de pagar somente 60% do salário; organização nega

·2 minuto de leitura

Na noite da última quarta-feira (15), o jogador JongHoon “Croc” Park publicou no Twitter um relato em que ele alega que a Rensga BitPreço teria pago somente 60% do valor acordado do salário dele e de Cha “Yuri” Hee-min. Ele ainda comentou sobre outras situações problemáticas envolvendo a organização de eSports.

Na esquerda, JongHoon "Croc" ao lado de Cha "Yuri" Hee-min (Imagem: Bruno Alvares/Riot Games Brasil)
Na esquerda, JongHoon "Croc" ao lado de Cha "Yuri" Hee-min (Imagem: Bruno Alvares/Riot Games Brasil)

A publicação tem o título “Please be nice to import players”, ou “Por favor, sejam gentis com jogadores estrangeiros”. Em inglês, Croc fala que a Rensga teria pago aproximadamente 60% ou 70% do valor combinado para a contratação dele e do midlaner Yuri. O jogador também alega que ambos tiveram que pagar, do próprio bolso, o teste PCR para covid-19, e que ao seguir as orientações que foram dadas pela Rensga, teriam perdido o voo para a Coreia do Sul.

Ele ainda comenta que a Rensga estaria pedindo que eles pagassem cerca de R$ 5 mil cada para pegar o voo mais rápido para o país, ou R$ 2 mil para um segundo voo. E que caso eles não pagassem a passagem, ficariam no Brasil por mais um mês. Porém, de acordo com Croc, os outros jogadores da organização já estariam em seus respectivos lares, e por isso ambos ficariam sozinhos na Gaming House da Rensga, em Goiânia.

O Caso na mesma hora explodiu nas redes sociais, e o CEO da Rensga BitPreço, Djary “Dejaras” Veiga publicou em suas redes que "Croc estaria muito chateado de ter perdido o voo e por isso teria publicado coisas que não eram verdades".


A Rensga chegou também a publicar um comunicado, em que cita que o jogador, ao perder o voo para a Coréia do Sul, teria "perdido o controle" e teria sido contido no aeroporto.

Um tempo após a publicação da organização, JongHoon fez mais uma publicação em suas redes sociais sobre o fato de “não estar mentindo”.


Essa não é a primeira polêmica que envolve jogadores coreanos no Brasil. Em 2020, os jogadores Choi “BalKhan” Hyun-jin e Im “Patrick” Jin-hyeok denunciaram a Redemption POA por atraso de pagamentos, e que totalizava em cerca de R$ 65 mil. O caçador BalKhan anunciou a aposentadoria logo depois do caso.

A Rensga BitPreço foi vice-campeã da segunda etapa do CBLOL 2021, perdendo para a RED Canids Kalunga por 3x1.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos