Cristina reafirma que honrará compromissos financeiros

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, reiterou, nesta quarta-feira, que seu país vai continuar honrando os compromissos financeiros, apesar das decisões da Justiça dos Estados Unidos que coloca os títulos soberanos em risco de default técnico. "A Argentina reestruturou 93% de sua dívida em 2005 e em 2010. E, o mais importante é que temos pagado pontualmente desde 2005 com recursos próprios e vamos continuar pagando", afirmou Cristina em discurso no encerramento da 18ª conferência anual da União Industrial da Argentina (UIA), ao lado da presidente Dilma Rousseff, para uma plateia formada pelos principais industriais argentinos e brasileiros.

Cristina voltou a criticar os fundos beneficiados pela sentença do juiz Thomas Griesa, que determinou a Argentina pagar US$ 1,330 bilhão até o dia 15 de dezembro. "Esses fundos abutres (especulativos), sim, porque não podem ser denominados de outra forma porque nem mesmo tem domicílio fiscal nos Estados unidos, mas sim nos paraísos fiscais para sonegar impostos." Segundo ela, o capital financeiro se tornou "amo e senhor e quer castigar-nos".

A presidente argentina distribuiu criticas também às montadoras de automóveis e outras empresas estrangeiras instaladas no país porque "remetem todos os seus lucros às suas casas matrizes". Cristina aproveitou o momento para anunciar aumento para o preço do gás natural para US$ 7,50 o BTU (unidade de medida de gás). E disse que tanto a Argentina quanto o Brasil fizeram um "verdadeiro milagre em matéria energética para sustentar o crescimento dos últimos anos".

Carregando...