Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.519,67
    +1.320,31 (+2,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.486,45
    +50,67 (+3,53%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Crise global de chips se agrava e atinge Apple, BMW e Ford

Peter Vercoe
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O déficit global de chips piora a cada dia. Assim como as gigantes de tecnologia Apple e Samsung Electronics, montadoras em três continentes sinalizaram de cortes de produção e perda de receita devido à crise.

Em um período de apenas 12 horas, a Honda disse que vai interromper a produção em três fábricas no Japão; a BMW reduzirá turnos em fábricas na Alemanha e na Inglaterra; e a Ford Motor revisou para baixo a previsão de lucro anual devido à escassez de chips, que deve se estender até o próximo ano. A Caterpillar em seguida sinalizou que pode não conseguir atender à demanda de maquinas usadas pelos setores de construção e mineração.

Agora, as mesmas empresas que se beneficiaram com o aumento da demanda por celulares, laptops e eletrônicos durante a pandemia, o que provocou a falta de chips, sentem o aperto. Após um forte segundo trimestre, o diretor financeiro da Apple, Luca Maestri, alertou que problemas de fornecimento têm afetado as vendas de iPads e Macs, dois produtos que tiveram desempenho especialmente positivo durante os lockdowns. Maestri disse que isso deve reduzir a receita de US$ 3 bilhões a US$ 4 bilhões durante o terceiro trimestre fiscal.

“É uma luta, e você tem que estar em contato diário com os fornecedores. Precisa assegurar que é importante para eles”, disse o diretor-presidente da Nokia, Pekka Lundmark, em entrevista na quinta-feira à Bloomberg Television. “Quando há escassez no mercado, são coisas como o quão importante você é no geral, quão fortes são seus relacionamentos e como você gerencia as expectativas.”

Ao mesmo tempo, fabricantes de semicondutores divulgam vendas crescentes e prometem investir bilhões para expandir capacidade enquanto tentam acompanhar a demanda. A Qualcomm, maior fabricante de chips para smartphones do mundo, disse que a demanda por aparelhos começa a se recuperar com o retorno à normalidade em alguns mercados que foram paralisados pela pandemia de Covid-19.

A STMicroelectronics, um importante fornecedor de chips para montadoras, disse que o lucro de sua unidade automotiva e de energia deu um salto de 280% no primeiro trimestre. O CEO Jean-Marc Chery atribuiu o desempenho à recuperação surpreendente na demanda, bem como a adoção pela indústria de novos recursos digitais que exigem mais chips para a nova onda de restrições da cadeia de suprimentos.

A Samsung, que é tanto produtora quanto usuária de chips, disse na quinta-feira que a falta de componentes contribuirá para uma queda da receita e do lucro neste trimestre na divisão móvel, que produz os smartphones Galaxy.

Além da Apple, cujos iPhones de alta especificação e demanda normalmente a colocam na frente da fila, a escassez de chips ameaça amortecer uma recuperação preliminar no mercado de smartphones. As remessas mundiais aumentaram cerca de 27%, para 347 milhões de aparelhos no primeiro trimestre, impulsionadas por uma infinidade de novos modelos e rápida retomada pós-pandemia na China. A falta de componentes, como processadores de aplicativos, pode enfraquecer esse impulso ao longo de 2021.

“A Covid-19 ainda é um aspecto importante, mas já não é o principal gargalo”, escreveu na quinta-feira Ben Stanton, gerente de pesquisa da Canalys. “O fornecimento de componentes essenciais, como chipsets, rapidamente se tornou uma grande preocupação e afetará as remessas de smartphones nos próximos trimestres.”

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.