Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,75
    -0,40 (-0,49%)
     
  • OURO

    1.666,00
    -4,00 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    19.469,38
    +350,79 (+1,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    447,10
    +18,32 (+4,27%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.534,50
    -21,25 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2269
    -0,0057 (-0,11%)
     

Crise de energia piora na Europa em meio à pico dos preços

(Bloomberg) -- Os preços da energia na Europa atingiram novos recordes nesta quinta-feira, quando uma onda de calor limita o fornecimento de energia e os incêndios florestais atingem a França.

Os ganhos refletem um mercado apertado para o gás natural - usado para abastecer usinas de energia - já que a Rússia corta o fornecimento no momento em que a Europa trabalha para reabastecer os estoques para o inverno. A queda na produção do reator nuclear, bem como a baixa geração eólica e hídrica, exacerbou o aperto, aumentando o espectro de intervenção para reduzir a demanda.

“Se a Rússia cortar o gás e não houver gás suficiente para toda a demanda, haverá racionamento”, diz Annegret Groebel, presidente do Conselho de Reguladores Europeus de Energia, em entrevista à Bloomberg Television. Os apagões “podem ser evitados, mas é claro que requer muito trabalho preparatório que estamos fazendo atualmente”.

As ondas de calor neste verão intensificaram a demanda e aumentaram as interrupções no fornecimento, com as principais vias fluviais - que são usadas para gerar energia hidrelétrica, resfriar usinas nucleares e transportar commodities energéticas - secando.

A França está em uma situação particularmente ruim, já que mais da metade de sua frota nuclear está desligada para manutenção. Normalmente o país estaria exportando energia, mas este ano se tornou um importador líquido, levando os países vizinhos a queimar mais gás para manter as luzes acesas. Os incêndios florestais assolam o país, levando o presidente Emmanuel Macron a pedir ajuda de toda a Europa para combater as chamas.

“A produção de energia nuclear historicamente baixa e os reservatórios hidrelétricos baixos em toda a Europa estão deixando um déficit no fornecimento que só pode ser atendido com fontes como carvão e gás”, disse Patricio Alvarez, analista da Bloomberg Intelligence. “Isso aumenta a resiliência da demanda de gás em um momento de oferta cada vez menor da Rússia.”

A oferta de energia apertada levaram o Reino Unido a emitir um aviso sobre uma estreita margem entre oferta e demanda na noite de quinta-feira. Embora a operadora National Grid ESO tenha dito que haverá geração suficiente, é outro sinal das dificuldades enfrentadas pelo sistema elétrico da Europa este ano.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.