Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.454,50
    +123,60 (+0,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Criptomoedas tiveram um dos piores dias de todos os tempos – entenda

Trader segurando Bitcoin enquanto preço cai caindo queda despenca
Trader segurando Bitcoin enquanto preço cai caindo queda despenca

Em um primeiro semestre difícil, o mercado de criptomoedas já perdeu R$ 10 trilhões de seu valor em relação a seu topo histórico de novembro do ano passado. Deste número, R$ 4,9 trilhões referem-se ao próprio Bitcoin, com queda acumulada de 68%.

Apenas nos últimos sete dias, o Bitcoin já despencou 29% após perder seu suporte na região dos 30.000 dólares, chegando a ser negociado a US$ 20.800 nesta terça-feira (14) antes de esboçar uma pequena reação.

Em relação à indústria, muitos mineradores já estavam vendendo seus bitcoins enquanto se preparavam para o mercado de baixa, o que pode ter pressionado ainda mais o preço. Além disso, exchanges brasileiras e internacionais realizaram demissões em massa no início deste mês.

Semana difícil para investidores de criptomoedas

Para piorar ainda mais o sentimento do mercado, a Binance interrompeu saques de Bitcoin enquanto seu preço derretia. Embora o CEO da empresa, Changpeng Zhao, tenha afirmado que os fundos estavam seguros, tais acontecimentos ajudam a criar mais pânico no mercado.

De qualquer forma, a Binance logo retornou a processar saques, afirmando tratar-se apenas de um problema em relação a transações presas devido às baixas taxas utilizadas enquanto a rede presenciava um maior fluxo de transações.

Além da Binance, a Celsius foi outra que apresentou problemas nestes últimos dias, também congelando saques. Outro agravante foi a movimentação dos fundos, que chamou a atenção de empresas de segurança para uma possível venda de BTC pela mesma.

Queda das criptomoedas é sentida pela indústria

Uma das melhores métricas para observar o sentimento da indústria são as ações da Coinbase ($COIN), maior exchange americana e listada na Nasdaq. Desde seu IPO, em abril do ano passado, suas ações já despencaram mais de 88%.

Outra que está apresentando uma queda brutal são as ações da MicroStrategy ($MSTR), também em queda de 88% em relação a seu topo em fevereiro do ano passado, devido a sua exposição em Bitcoin. Contudo, seu CEO segue confiante, afirmando saber da volatilidade do Bitcoin e se mostrando preparado para estes momentos.

Por fim, as criptomoedas enfrentam o seu pior primeiro semestre da história, com perdas de R$ 10 trilhões, além de uma desaceleração das indústrias que trabalham ao redor deste mercado, sejam exchanges ou mineradoras.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos