Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,79 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,80 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,78
    +2,29 (+2,88%)
     
  • OURO

    1.672,50
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    19.221,93
    -73,08 (-0,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,09 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,93 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,89 (-1,84%)
     
  • NASDAQ

    10.984,75
    -50,75 (-0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3040
    +0,0060 (+0,11%)
     

Criptomoedas: Setor em expansão promete salários de até R$ 2 milhões por ano

Ambiente de trabalho de desenvolvedor.
Ambiente de trabalho de desenvolvedor.

Com 9,5 bilhões de reais perdidos em hacks apenas neste ano, projetos estão buscando soluções para diminuir riscos. Com isso, empresas de segurança estão tendo um aumento na demanda de seus serviços, oferecendo salários de até R$ 2 milhões para profissionais da área.

A maior demanda é por auditorias de códigos para encontrar bugs ou outras falhas de segurança que permitam que hackers drenem criptomoedas. Mesmo com o preço crescente por tais serviços, o gasto ainda é pouco quando comparado as perdas financeiras e de reputação de um possível ataque.

Em contrapartida, os cursos de Solidity, linguagem do Ethereum e outras criptomoedas, já é um dos mais procurados no mercado. Portanto, podemos esperar que a demanda por estes profissionais seja atendida conforme mais pessoas se capacitam.

Briga de gato e rato

Na última semana, um hacker perdia R$ 42.000 após um ataque frustrado à Rainbow Bridge. Embora este valor seja pequeno para o projeto, que gastou um bom dinheiro e energia em sua segurança, isso serviu de alerta para este e outros hackers que tentam encontrar brechas em seus sistemas.

Além deste, diversos outros estão investindo em auditorias e outras formas de proteger os fundos de seus usuários. Como destaque, a Consensys conta à Bloomberg que, apenas neste ano, mais de 1.100 projetos pediram que seus contratos inteligentes fossem analisados.

Tal número é similar ao de 2021 e quase 5 vezes maior que de 2020. Quanto aos preços, o custo chega a US$ 320.000 — mais de R$ 1,6 milhão — e a espera é de até nove meses. Enquanto isso, até mesmo o gigante Ethereum está oferecendo uma recompensa de R$ 5 milhões para quem encontrar bugs em seu código.

Salários milionários

Com a crescente demanda por tais serviços, as empresas estão contratando mais profissionais enquanto todo resto do setor de criptomoedas realiza demissões em massas e até mesmo vende equipamentos para quitar dívidas.

A OpenZeppelin, por exemplo, expandiu sua força de trabalho em 63% neste ano, conforme um executivo da companhia contou à Bloomberg.

“Os salários para auditores experientes em blockchain podem chegar a US$ 400.000 (R$ 2 milhões) por ano, de acordo com Zeth Couceiro, fundador da Plexus Resource Solutions”, escreve a Bloomberg. “Seu pagamento costuma ser cerca de 20% superior ao dos desenvolvedores focados em Solidity, uma das maiores linguagens de programação das criptomoedas.”

Conforme o valor de mercado das criptomoedas está em R$ 4,75 trilhões no momento desta redação e alguns projetos já perderam até R$ 3 bilhões em um único ataque, os salários podem ser considerados justos.

Devido a isso, o curso de Solidity — linguagem citada acima e utilizada principalmente pelo Ethereum — é um dos 5 mais procurados na Udemy na área de finanças. Sendo assim, podemos esperar que a demanda por estes profissionais seja suprida em um futuro próximo.

Por fim, a expetativa é que possamos confiar cada vez mais nos contratos inteligentes, não pela falta de motivação dos hackers, mas sim pelo esforço coletivo em torná-los cada vez mais seguros para seus usuários.

Fonte: Livecoins