Mercado abrirá em 6 h 21 min
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,40
    +0,32 (+0,44%)
     
  • OURO

    1.777,60
    -5,80 (-0,33%)
     
  • BTC-USD

    32.926,05
    -1.191,06 (-3,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    794,94
    -15,25 (-1,88%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.074,06
    -15,95 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.884,47
    +67,40 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.875,23
    +0,34 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.298,00
    +35,00 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9307
    +0,0022 (+0,04%)
     

Criptomoedas não precisam de novas regras financeiras, afirma editorial do WSJ

·2 minuto de leitura

Em meio a preocupações recentes sobre a segurança das criptomoedas, figuras influentes dos Estados Unidos defenderam que o sistema monetário do país não precisa de mudanças para lidar com elas. Em um editorial publicado no Wall Street Journal, o ex-presidente da Comissão de Segurança e Câmbio (SEC), Jay Clayton, e o ex-subsecretário do Tesouro Brent McIntosh defenderam que não é preciso criar novas regras para lidar com a tecnologia.

Segundo eles, as regras com as quais o sistema opera atualmente não precisam de alterações e há o risco de matar um mercado emergente ao apostar em regulações excessivas (ou em um número insuficiente delas). O editorial é uma resposta a declarações recentes feitas pela Secretária do Tesouro do país, Jennet Yellen, que afirmou que as estruturas atuais “não estão aptas” a lidar com as criptomoedas.

Clayton e McIntosh defendem que os políticos no poder devem focar suas ações em trazer “estabilidade financeira, mercados de financiamento profundos e eficientes em todo o espectro de dívida e ações e na prevenção de fraude e atividades ilíticas”, que são as bases de qualquer regulamentação financeira.

Para eles, qualquer regulamentação de criptomoedas deve atender a três aspectos:

  1. Demonstrar com clareza quais reguladores vão regular quais tipos de bens digitais;

  2. Deixar claro quais os requisitos que um bem digital deve atender para operar legalmente nos Estados Unidos;

  3. Definir se os Estados Unidos devem emitir um dólar digital ou facilitar a digitalização por outros meios, como stablecoins.

Segundo eles, essas três regras vão permitir que aqueles no poder adequem as criptomoedas às regras atuais que embasam o sistema financeiro do país. Clayton e McIntosh defendem que isso vai dar clareza aos operadores ao mesmo tempo em que mantém uma “inovação responsável’ dentro do mercado das criptomoedas, garantindo o papel dos EUA como um líder na formação de capitais.

Embora a opinião emitida no editorial não seja capaz de mudar os posicionamentos dos EUA, os autores são figuras influentes e podem ajudar a moldar indiretamente os rumos do mercado. Qualquer decisão que o país vir a tomar deve ter grande impacto no mundo das criptomoedas, cuja liberdade e falta de regulação é tanto defendida por seus apoiadores quanto criticada por aqueles que veem nelas uma ferramenta cada vez mais usada para financiar grupos de cibercriminosos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos