Mercado fechará em 9 mins
  • BOVESPA

    111.325,94
    -747,61 (-0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.292,79
    -726,12 (-1,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,80
    +0,39 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.931,60
    -11,20 (-0,58%)
     
  • BTC-USD

    24.081,45
    +1.025,40 (+4,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    551,03
    +5,72 (+1,05%)
     
  • S&P500

    4.187,84
    +68,63 (+1,67%)
     
  • DOW JONES

    34.039,65
    -53,31 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.820,16
    +59,05 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    21.958,36
    -113,82 (-0,52%)
     
  • NIKKEI

    27.402,05
    +55,17 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    12.889,25
    +475,00 (+3,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4787
    -0,0757 (-1,36%)
     

Criptomoedas ficam em segundo plano em Davos

Placa do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suiça.
Placa do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suiça.

Anualmente realizada em Davos, na Suíça, a reunião do Fórum Econômico Mundial (FMI) reúne presidentes e ministros de diversos países, bem como grandes empresários para tratar diferentes aspectos econômicos do mundo, incluindo criptomoedas.

No entanto, o difícil ano de 2022 e a falência da FTX parecem ter abalado o setor cripto, que está muito menos presente nesta edição.

Como comparação, ainda que o Bitcoin já estivesse perdido 50% de seu valor durante o encontro de 2022, diversos líderes ainda estavam dando atenção para a criptomoeda, mas isso não quer dizer que elogiaram a mesma.

Na ocasião, Kristalina Georgieva do FMI, por exemplo, chamou o Bitcoin de pirâmide. Já Christine Lagarde do BCE disse que o bitcoin não possui valor. Claro, defensores do Bitcoin também marcaram presença, como Ray Dalio, indignado com a inflação das moedas fiduciárias.

Empresas de criptomoedas em menor número em Davos

Conforme o evento do Fórum Economico Mundial reúne executivos das maiores empresas do mundo, é natural esperar que algumas do setor cripto também estejam presentes em Davos.

No entanto, a amarga queda de 2022 teve suas consequências. Isso já era notável nas diversas demissões em massa de gigantes como Coinbase e Crypto.com, mas parece mais perceptível em eventos físicos.

Em conversa com a CoinDesk, o vice-presidente da Ripple. Brooks Entwistle, comparou os eventos de 2022 e 2023, chocado com a presença diminuída.

“Que diferença faz oito meses. Você não poderia andar mais de um metro e meio ou três metros sem ver uma casa de criptomoedas [em 2022].”

Nem mesmo a própria Ripple teve seu próprio espaço no evento, com Entwistle notando que sua “abordagem aqui tem sido tática nas reuniões”.

Nem todos jogaram a toalha

Embora o Bitcoin tenha recuperado 25% de seu valor desde o início do ano, isso ainda não foi suficiente para que a indústria respire tranquilamente. Quem sabe, apenas recuperou o fôlego antes de outro mergulho.

No entanto, nem todas estão tão mal assim. Como destacado pelo Livecoins no mês passado, as stablecoins estão gozando de bons lucros enquanto aproveitam os altos retornos de investimentos de baixo risco, como títulos do Tesouro americano.

Portanto, a Circle, emissora da USDC, é uma das poucas que marcou presença na reunião do Fórum Econômico Mundial em Davos neste ano.

Junto a ela, o Global Blockchain Business Council, a Casper Labs e a Filecoin Foundation estarão presentes no evento principal, representando esta indústria que segue na mira dos críticos e reguladores.

Por fim, as criptomoedas seguem em alta com o Bitcoin acima dos US$ 21.000 e caso analistas estejam certos sobre suas projeções, as criptomoedas devem ter uma presença mais marcante no próximo encontro em Davos.

Fonte: Criptomoedas ficam em segundo plano em Davos

Veja mais notícias sobre Bitcoin. Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.