Mercado fechado

Criptomoeda Ethereum completa com sucesso sua mutação para consumir menos energia

A criptomoeda Ethereum, a segunda mais importante do mundo depois do bitcoin, completou nesta quinta-feira uma mutação tecnológica fundamental para o seu futuro, que lhe permitirá reduzir o seu consumo de energia em praticamente 99%.

"Acabou! (...) A todos os que contribuíram para o sucesso da The Merge ('fusão'): hoje podem sentir-se muito orgulhosos" tuitou Vitalik Buterin, co-fundador desta cadeia de blocos.

Como todas as criptomoedas, a Ethereum começou a funcionar por meio de uma cadeia de blocos de instruções criptografadas, que são criados incessantemente por milhares de computadores ao redor do mundo, de forma autônoma e automática.

Com essa operação, a moeda, que representa 20% do mercado (40% para bitcoin), passa por um sistema conhecido como "proof of work" ("prova de trabalho"), que atesta que o registro foi feito por esses computadores, até a "proof of stake" ("prova de aposta"), em que basicamente são recompensados aqueles que aportam financeiramente seu capital.

É uma mudança complexa que, do ponto de vista ecológico, tem um enorme impacto no mundo das criptomoedas. Estima-se que a operação da Ethereum até agora consumia anualmente a mesma quantidade de eletricidade que a Nova Zelândia.

"Tudo aconteceu exatamente como planejado", disse Simon Polrot, especialista em blockchain e ex-presidente da Associação para o Desenvolvimento de Ativos Digitais, à AFP.

O preço da Ethereum foi retomado nas plataformas de criptomoedas nesta quinta-feira, como a CoinMarket, onde seu preço caiu um pouco, em US$ 1.588 por unidade (-0,88%).

As criptomoedas são uma criação totalmente informatizada e virtual, baseada apenas na confiabilidade de sua solvência nos mercados graças às blockchains, que supostamente são infalsificáveis.

A Ethereum é fundamental nesse mercado tão volátil, já que praticamente todos os negócios no mundo da arte digital são feitas com essa moeda.

Praticamente todos os tokens não fungíveis (NFTs), que são uma espécie de título de propriedade de obras de arte digitais, são criados na blockchain da Ethereum.

lby-jz/zm/aa