Mercado abrirá em 9 mins
  • BOVESPA

    129.513,62
    +1.085,64 (+0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    +387,54 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,44
    +0,14 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.785,10
    +8,40 (+0,47%)
     
  • BTC-USD

    32.946,00
    -1.012,75 (-2,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,84
    +0,23 (+0,03%)
     
  • S&P500

    4.266,49
    +24,65 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    34.196,82
    +322,58 (+0,95%)
     
  • FTSE

    7.138,04
    +28,07 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    29.288,22
    +405,76 (+1,40%)
     
  • NIKKEI

    29.066,18
    +190,95 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    14.376,25
    +22,00 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8749
    +0,0126 (+0,21%)
     

Criminosos se passam por membros do Ministério Público para aplicar golpes

·1 minuto de leitura

Um procedimento instaurado por meio da Comissão de Preservação da Autonomia do Ministério Público (CPAMP) está investigando uma série de golpes que usam imagens e a identidade do Ministério Público (MP) para roubar dados pessoais. As mensagens, enviadas através de WhatsApp e e-mail, intimam a vítima a comparecer a uma audiência e acompanham um link que, quando ativado, instala um software malicioso responsável pelo roubo de dados.

Criminosos de Minas Gerais também estão usando o comunicador pertencente ao Facebook para enviar mensagens em que se identificam como promotores de Justiça. Através delas, eles solicitam depósitos bancários e apoio de motorista para o deslocamento à localidade da vítima — as ocorrências do tipo já estão sob investigação.

Imagem: Divulgação/MPDFT
Imagem: Divulgação/MPDFT

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) emitiu um alerta em seu site em que afirma que as práticas descritas constituem estelionato e falsidade ideológica. A entidade reforça que não faz intimações por mensagens de e-mail e recomenda a conferência de dados pessoais e do número de telefone de qualquer pessoa que se identifique como um representante do MP.

O MPDFT disponibiliza o e-mail cpamp@cnmp.mp.br para o registro de qualquer tentativa de golpe, também oferecendo um formulário eletrônico para contato direto com sua ouvidoria — clique aqui para acessar. Para completar, também há como entrar em contato através de uma ligação gratuita para o número 0800 644 9500.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos