Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.871,86
    -2.484,00 (-5,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Criminosos faturam mais de US$ 3 milhões com a venda da vacinas falsas na China

Natalie Rosa
·1 minuto de leitura

Na China, o líder de uma gangue foi preso por vender vacinas falsas contra a COVID-19. O criminosos lucraram cerca de US$ 3 milhões com a comercialização do produto falso, que em vez das doses do imunizante contava apenas com soro fisiológico. De acordo com as autoridades, Kong Mou e seus comparsas preencheram 58 mil seringas com solução salina e venderam por todo o país.

A prisão aconteceu ainda no ano passado, no dia 25 de dezembro, e somente em novembro duas mil doses falsas foram vendidas a outro criminoso, conhecido como Li, por mais de US$ 60 mil. Li, então, enviou 600 dessas doses para fora do país, saindo de Hong Kong no dia 12 de novembro, lucrando US$ 140 mil. A descoberta do esquema foi anunciada somente no dia 2 de fevereiro, quando aproximadamente 80 pessoas foram presas devido a golpes de vacinas contra a COVID-19.

<em>Imagem: Reprodução/Steven Cornfield/Unsplash</em>
Imagem: Reprodução/Steven Cornfield/Unsplash

Na última segunda-feira (15), o Supreme People's Procuratorate, agência de investigação chinesa, revelou que iria se aprofundar mais nas buscas de venda de vacinas falsas, revelando ainda que houveram mais de 21 casos de fraudes similares por toda a China. Em reportagem, o BBC havia citado que doses falsificadas do imunizante contra o coronavírus chegaram a ser vendidas em hospitais por preços inflacionados, com os criminosos chegando a contratar médicos para a aplicação das vacinas em pessoas dentro de carros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: