Mercado fechará em 1 h 8 min

Criminoso que invadiu Uber e vazou GTA 6 é preso na Inglaterra

A polícia do Reino Unido prendeu nesta quinta-feira (22) um adolescente de 17 anos, acusado de participar dos ataques digitais à Uber e de vazar imagens preliminares de GTA 6. O jovem foi detido no condado de Oxfordshire, à oeste de Londres, e é apontado como um dos membros do grupo cibercriminoso Lapsus$.

O comunicado oficial das autoridades britânicas não cita detalhes sobre o detido, afirmando apenas que ele seria suspeito de invasão e estaria sendo investigado pela Unidade Nacional de Cibercrimes (NCCU, na sigla em inglês). A imprensa, porém, logo obteve informações de que o indivíduo é o mesmo responsável pelos dois ciberataques detonados nas últimas semanas.

"Na noite de quinta, 22 de setembro de 2022, a polícia da cidade de Londres perdeu um jovem de 17 anos em Oxfordshire sub suspeitas de invasão de computadores, como parte de uma investigação realizada pela Unidade Nacional de Cibercrimes (NCCU)."

A ação teria sido coordenada entre a polícia do Reino Unido e o FBI, que também investiga o caso. Enquanto mais detalhes sobre a prisão devem ser divulgados ainda nesta semana, as informações preliminares indicam que os ataques teriam sido organizados por meio do mensageiro Telegram, comumente usado pelo Lapsus$ durante toda a sua trajetória cibercriminosa.

Não é, também, a primeira vez que a quadrilha cai sob a mira direta das autoridades. Entre março e abril deste ano, a polícia do Reino Unido chegou a prender sete pessoas pelo envolvimento com o bando; a Polícia Federal brasileira também realizou operação em agosto, com mandados de busca e apreensão sendo cumpridos em quatro estados para localizar provas relacionadas a golpes feitos pelo grupo no país.

Além da Uber e da desenvolvedora de Grand Theft Auto VI, a Rockstar Games, o Lapsus$ também foi responsável pelo ataque que deixou o aplicativo ConecteSUS fora do ar durante semanas, assim como o Ministério da Saúde e outras pastas do governo federal do Brasil. Outras grandes empresas como Microsoft, Nvidia e Samsung também sofreram intrusões e vazamentos de dados como parte das ações da quadrilha.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: