Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.464,06
    -915,94 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,94 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,76
    +0,15 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.843,80
    -7,10 (-0,38%)
     
  • BTC-USD

    32.059,04
    -496,15 (-1,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    646,17
    -1,15 (-0,18%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.654,01
    +15,16 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    29.569,62
    +178,36 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    28.674,92
    +128,72 (+0,45%)
     
  • NASDAQ

    13.547,25
    +61,75 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5118
    +0,0010 (+0,02%)
     

Criança de 5 anos que morreu por bala perdida estava no colo da mãe quando foi atingida

Redação Notícias
·1 minuto de leitura

Era no colo da mãe que a pequena Alice Pamplona da Silva de Souza, de 5 anos, estava quando foi baleada no pescoço, à meia-noite do dia 1°, no Morro do Turano, na casa da madrinha, onde a familia estava reunida para comemorar a chegada de 2021. O corpo da menina está sendo velado no Cemitério do Caju.

Madrinha e prima da menina, Mayara Aparecida de Souza, de 22 anos, foi quem socorreu a criança.

— Estávamos assistindo à queima de fogos. Ela gostava de ver. Estava a coisa mais linda. Ela estava no colo da mãe, lugar que você espera ter toda a proteção do mundo. Foi à meia-noite em ponto. Foi quando ela falou :"Ai". A gente pensou que ela estava dando convulsão. Eu e meu marido levamos ela de moto para o hospital. Fui com meu dedo segurando a língua dela. Teve um momento que ela foi parando de apertar o dedo —contou Mayara.

Mayara disse também que a família não escutou disparos no momento em que Alice foi atingida:

—Não ouvi tiros no momento. Só fogos. Não sei como minha tia vai viver. Ela era filha única e neta mais nova. A família estava triste porque perdemos nosso avô em setembro, mas, ao mesmo tempo, feliz porque estávamos todos reunidos. Mas Deus levou minha pequena. Era uma menina alegre.

Da AGÊNCIA O GLOBO