Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.985,94
    +1.107,41 (+0,99%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.001,19
    +326,36 (+0,75%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,77
    +0,49 (+1,08%)
     
  • OURO

    1.844,10
    +13,90 (+0,76%)
     
  • BTC-USD

    19.427,72
    +478,82 (+2,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    381,65
    +7,25 (+1,94%)
     
  • S&P500

    3.679,88
    +10,87 (+0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.080,93
    +197,14 (+0,66%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.492,50
    +38,25 (+0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2274
    -0,0924 (-1,46%)
     

Crianças em escolas da França devem usar máscara a partir dos 6 anos

·1 minuto de leitura
O primeiro-ministro francês Jean Castex discursa na Assembleia Nacional
O primeiro-ministro francês Jean Castex discursa na Assembleia Nacional

O uso de máscaras nas escolas da França será ampliado para as crianças do ensino básico a partir dos 6 anos, anunciou o primeiro-ministro Jean Castex no Parlamento, um dia após o anúncio de um novo confinamento nacional.

"A partir do retorno às aulas na segunda-feira, o protocolo sanitário será adaptado e reforçado para garantir a proteção de todas as crianças, dos professores, dos pais dos alunos", completou Castex, ao explicar que a nova medida segue uma proposta do Alto Conselho de Saúde Pública.

O primeiro-ministro francês disse que seu governo "havia antecipado" a segunda onda de coronavírus, mas que "nenhum país previu uma aceleração tão rápida e brutal".

"Não parei de pedir a vigilância", insistiu. "Alguns que nos dizem hoje que deveríamos ter atuado de forma mais firme ou que não estávamos fazendo o suficiente, alegaram na época que estávamos fazendo demais", disse.

A França, muito abalada pela segunda onda do coronavírus, decretou na quarta-feira um novo confinamento nacional de pelo menos um mês, embora menos estrito que o da primavera, já que as escolas, fábricas e serviços públicos permanecerão abertos.

Desde agosto a França observa um forte aumento dos contágios. No site oficial do governo, as autoridades registrara 244 mortes nos hospitais nas últimas 24 horas, o que eleva o balanço a 35.785 vítimas fatais na França desde o início da pandemia.

Com mais de 3.000 pacientes em CTIs, ou seja, mais da metade dos leitos disponíveis ocupados, as autoridades temem o colapso destas unidades.

pab/cs/jg/jhd/mar/zm/fp