Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.366,71
    +2.442,05 (+5,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Criadora de conteúdo sofre abuso por ter nome semelhante ao de Round 6

·3 min de leitura

O sucesso de Round 6, que se tornou a série mais assistida da história da Netflix em cerca de um mês a partir de seu lançamento, também representou o início de uma série de problemas para criadora de conteúdo Lydia Ellery. Desde a explosão do show, ela vem recebendo uma enxurrada de abuso, xingamentos, banimentos e até a perda de oportunidades de trabalho devido à similaridade dos nomes usados em seu canal e redes sociais — na internet, ela atende por SquidGame e variações, exatamente o título internacional do seriado sul-coreano.

Ela explica o título como uma piada boba, feita por amigos que a chamavam de “squid” (lula, em inglês) pela similaridade com o apelido Lid. Por outro lado, a falta de contas oficiais para Round 6 nas redes sociais, uma prática comum da Netflix, fez com que os fãs passassem ao ataque, acusando a streamer de tentar usar o nome do seriado de sucesso para ganhar fama e seguidores.

Sua conta no Twitter, SquidGaming, foi criada em 2011, enquanto ela utiliza SquidGame como título de seu canal na Twitch desde 2014. Em setembro deste ano, entretanto, ela afirma ter começado a receber ameaças e também ter sido alvo de campanhas de denúncias em massa, com fãs de Round 6 a acusando de usar o título do seriado como forma de ganhar com o sucesso dele — ações desse tipo levaram a um banimento temporário do perfil de Ellery no Instagram, apesar de ela usar o nome desde novembro de 2012.

Em entrevista à rede britânica BBC e em publicações em suas redes sociais, a criadora de conteúdo disse que a situação se tornou insustentável quando ela perdeu duas oportunidades de trabalho como apresentadora por causa de sua ligação não intencional ao seriado da Netflix. Ela afirma não saber exatamente o que fazer para resolver o problema, e enquanto mudar de nome parece ser a opção mais direta, ela não é nada simples, afinal de contas, Ellery construiu sua presença online sobre o nick SquidGame muito antes do seriado da Netflix entrar em produção.

Isso sem falar em constantes tentativas de recuperação de senha e invasão de contas, além de mensagens constantes com ameaças e ofensas. Mais do que isso, ela afirma que sua visibilidade foi reduzida pelo sucesso de Round 6, uma vez que buscas por Squid Game, agora, trazem apenas resultados relacionados à série, com seus canais e redes sociais deixando de aparecer nas buscas.

No momento em que essa reportagem é escrita, Ellery tem 44,6 mil seguidores na Twitch, além de 33 mil no Instagram e 47,6 mil no Twitter. Ela também é membro da network Yogcast, um coletivo britânico de criação de conteúdo com canais que somam mais de sete milhões de inscritos. A Netflix não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos