Mercado abrirá em 9 h 41 min
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,07
    +1,09 (+1,47%)
     
  • OURO

    1.760,10
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    44.129,33
    +1.964,66 (+4,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.101,34
    -1,72 (-0,16%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.474,99
    +282,83 (+1,17%)
     
  • NIKKEI

    30.358,62
    +109,81 (+0,36%)
     
  • NASDAQ

    15.385,75
    +67,00 (+0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2563
    +0,0007 (+0,01%)
     

Criador do Ethereum começou a programar com sete anos

·2 minuto de leitura
Vitalik Buterin. Imagem: Youtube
Vitalik Buterin. Imagem: Youtube

Considerado um gênio por parte da comunidade de criptomoedas, Vitalik Buterin começou sua jornada na tecnologia e matemática quando ainda era novo. De acordo com o pai do cofundador do Ethereum, ele começou a programar ainda com sete anos.

A história da família começou na antiga União Soviética, um regime ditatorial socialista que acabou levando os pais de Vitalik a fugir, em busca de liberdade. Seus pais, que se conheceram na faculdade de computação, queriam dar aos filhos o que não tiveram em sua juventude.

Parte do que aconteceu com Vitalik foi contado por seu pai, Dmitry Buterin, na estreia do podcast Layer Zero, apresentado por David Hoffman e que contará a história de pessoas ligadas ao ecossistema do Ethereum.

Pai do cofundador do Ethereum conta que ele começou a programar aos sete anos

Com 27 anos hoje, Vitalik Buterin criou um ecossistema de inovação no mercado de criptomoedas. Em busca do computador universal descentralizado, esse jovem acabou atraindo milhares de pessoas para sua ideia e está por trás da segunda principal criptomoeda do mercado.

Mas sua primeira brincadeira com linguagens de programação antes de cofundar o Ethereum foi aos sete anos, afirmou seu pai, Dmitry Buterin. Segundo esse veterano cientista da computação, Vitalik teve contato com computadores desde novo e gostava mais de mexer no Excel do que de jogos.

Isso porque, ao manipular números e criar gráficos, ele conseguia ver mais funções da matemática, que já mostrava um grande interesse em sua infância.

Na comunidade de criptomoedas, Vitalik começou como um estudante do Bitcoin e entusiasta da criação feita por Satoshi Nakamoto. Anos depois ele participou da criação do site Bitcoin Magazine, onde trabalhou até 2014.

Após isso, o estudante do Bitcoin compôs a equipe que fundou o Ethereum, em 2015, que tem uma proposta diferente do Bitcoin.

“Ethereum é um experimento para mudar a realidade”

O pai do cofundador do Ethereum também é um empreendedor do mercado de criptomoedas e trabalha próximo da comunidade que seu filho ajudou a criar. Como um cientista da computação, ele acredita muito no potencial dessa rede e os experimentos que saem dela.

Questionado se acreditava que o Ethereum é um projeto espiritualizado, Dmitry Buterin disse que acredita que sim, pois esse projeto veio para mudar a realidade, a concentração de poder e tudo que os seres humanos já aprenderam até este ponto da história.

Ele falou que o Bitcoin é muito forte, mesmo com sua “simplicidade”, atraindo pessoas que acreditam nessa narrativa. Mesmo assim, a experimentação que o Ethereum tem em seu projeto torna este um ecossistema melhor no longo prazo.

Se confere o preço do Ethereum no mercado, o pai de Vitalik confessou que sim, que o faz diariamente e várias vezes ao dia. Mesmo assim, ele garante que não sofre por isso e que apenas observa esse atributo pela perspectiva dos fundamentos do projeto.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos