Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.190,54
    -38,70 (-0,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

Mercado de trabalho forte nos EUA mantém Fed em trajetória de alta agressiva de juros

Anúncio de contratação na porta da GameStop em Nova York

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - Os empregadores dos Estados Unidos contrataram mais trabalhadores do que o esperado em maio e mantiveram um ritmo forte de aumentos salariais, sinais de um mercado de trabalho apertado que vai manter Federal Reserve no curso de apertar a política monetária de forma agressiva para esfriar a demanda.

A economia norte-americana abriu 390 mil postos de trabalho fora do setor agrícola no mês passado, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira, sendo que a taxa de desemprego permaneceu em 3,6% pelo terceiro mês seguido, mesmo com mais pessoas entrando na força de trabalho.

Os dados de abril foram revisados para uma abertura de 436 mil empregos, em vez de 428 mil informados antes.

Economistas consultados pela Reuters projetavam criação de 325 mil postos de trabalho no mês passado. As estimativas variaram de 250 mil a 477 mil.

Embora a criação de vagas de maio tenha sido a menor em um ano, ficou acima da média mensal que prevalecia antes da pandemia de Covid-19 em 2020.

O relatório também mostrou sólidos ganhos salariais no mês passado, pintando um quadro de uma economia que continua a se expandir, embora a um ritmo moderado.

"A economia está a quilômetros de ficar à beira da recessão, já que continuou contratando trabalhares a um ritmo forte", disse Christopher Rupkey, economista-chefe do FWDBONDS.

O Fed está tentando reduzir a demanda por mão de obra para domar a inflação, mas sem elevar demais a taxa de desemprego. A postura monetária agressiva do banco central dos EUA no combate à inflação e ao aperto das condições financeiras que a acompanham deixaram os investidores temerosos de uma recessão no próximo ano.

Os economistas estão divididos sobre se a moderação no ritmo de crescimento do emprego se deve ao esfriamento da demanda por mão de obra ou à escassez de trabalhadores. Eles incitam os investidores a se concentrarem na taxa de desemprego e no crescimento salarial para avaliar o aperto do mercado de trabalho.

Havia 11,4 milhões de vagas de emprego abertas no final de abril, com quase duas vagas para cada desempregado.

A renda média por hora aumentou 0,3%, igualando o ganho de abril. Isso reduziu o aumento anual para uma taxa ainda forte de 5,2%, de 5,5% em abril.

Alguns economistas viram isso como sinal de que a inflação salarial chegou a um pico e está esfriando.

O banco central dos Estados Unidos aumentou sua taxa de juros em 0,75 ponto percentual desde março. A expectativa é de que o Fed eleve a taxa overnight em 0,5 ponto percentual em cada uma de suas próximas duas reuniões, neste mês e em julho.

A vice-chair do Fed, Lael Brainard, disse na quinta-feira que vê poucos motivos para fazer uma pausa em setembro.

Embora os alertas de uma recessão estejam aumentando, a maioria dos economistas acredita que a expansão econômica persistirá até o próximo ano. Eles reconhecem que a inflação alta está corroendo o poder de compra dos consumidores e o investimento empresarial, mas argumentam que os fundamentos da economia são fortes e que qualquer desaceleração provavelmente será suave.

As perspectivas para economia também vêm sendo afetadas pelo enfraquecimento do ambiente global, em parte devido à guerra da Rússia contra a Ucrânia e à política de Covid zero da China.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos