Mercado abrirá em 1 h 30 min
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,74
    +0,73 (+1,01%)
     
  • OURO

    1.795,10
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    16.828,25
    +8,82 (+0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,25
    -6,78 (-1,69%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.491,27
    +2,08 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.530,00
    +20,50 (+0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4745
    +0,0081 (+0,15%)
     

Criação de vagas nos EUA deve ter desacelerado em setembro, mercado de trabalho ainda é apertado

Anúncio de emprego em loja de Cambridge, Massachusetts, EUA

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - O crescimento do emprego nos Estados Unidos provavelmente desacelerou em setembro, já que o rápido aumento dos juros deixa as empresas mais cautelosas quanto às perspectivas econômicas, mas as condições gerais do mercado de trabalho permanecem apertadas, dando ao Federal Reserve espaço para manter sua agressiva campanha de aperto da política monetária por um tempo.

O relatório de emprego do Departamento do Trabalho, a ser divulgado nesta sexta-feira, também deve mostrar que a taxa de desemprego permaneceu em 3,7% no mês passado, com fortes ganhos salariais anuais.

O mercado de trabalho tem sido em grande parte resiliente aos custos maiores de empréstimo e às condições financeiras mais apertadas, com economistas dizendo que as empresas estão relutantes em demitir trabalhadores após as dificuldades de contratação no ano passado, quando a pandemia de Covid-19 forçou algumas pessoas a saírem da força de trabalho, em parte devido a doenças prolongadas causadas pelo vírus.

"Obviamente não há inclinação das empresas para demitirem pessoas, mas elas estão começando a ficar um pouco mais nervosas com as perspectivas econômicas", disse James Knightley, economista-chefe do ING.

A economia norte-americana provavelmente criou 250.000 vagas de emprego fora do setor agrícola no mês passado, depois de 315.000 em agosto.

Embora essa seja a leitura mais fraca desde dezembro de 2020, estaria muito acima da média mensal de 167.000 empregos na década de 2010. As estimativas variaram de 127.000 a 375.000 vagas.

"Esse é um desempenho que sentimos que não mudará a avaliação do Fed de um mercado de trabalho que ainda é muito apertado", disse Sam Bullard, economista sênior da Wells Fargo. "E isso não é propício para que a inflação volte a cair para a meta de 2% do Fed."

O banco central dos Estados Unidos subiu sua taxa de juros de quase zero no início deste ano para a faixa atual de 3,00% a 3,25%, e no mês passado sinalizou que mais aumentos grandes estão a caminho este ano.