Mercado abrirá em 1 h 24 min
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,92
    +1,17 (+1,96%)
     
  • OURO

    1.722,40
    -11,20 (-0,65%)
     
  • BTC-USD

    51.595,51
    +2.446,82 (+4,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.030,96
    +42,86 (+4,34%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.676,03
    +62,28 (+0,94%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.146,25
    +91,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8561
    -0,0060 (-0,09%)
     

Criação de vagas nos EUA deve ter se recuperado em janeiro; mais ajuda é necessária

Lucia Mutikani
·1 minuto de leitura

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - A criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos provavelmente se recuperou em janeiro conforme as autoridades começaram a aliviar as restrições para combate à Covid-19 com a redução no ritmo de infecções, o que pode fornecer o sinal mais forte até agora de que o pior da turbulência no mercado de trabalho ficou para trás após a economia perder postos em dezembro.

O relatório de emprego do Departamento do Trabalho a ser divulgado nesta sexta-feira, entretanto, não irá aliviar a necessidade de ajuda adicional do governo, com milhões de pessoas enfrentando longo período de desemprego e outras tendo perdido permanentemente seus empregos, desistindo da busca por trabalho.

A economia ainda ficará 10 milhões de empregos abaixo do pico do mercado de trabalho em fevereiro de 2020. O presidente Joe Biden está pressionando para que o Congresso dos EUA aprove um plano de recuperação de 1,9 trilhão de dólares, que tem a resistência da maioria dos parlamentares republicanos, agora preocupados com a dívida nacional.

"O estímulo tem que ser aprovado", disse Jason Reed, professor de finanças da Escola de Negócios de Mendoza da Universidade de Notre Dame. "Qualquer que seja o número, não devemos esquecer que estamos muito abaixo da quantidade de empregos necessários para voltar para onde estávamos um ano atrás."

A pesquisa deve mostrar criação de 50 mil vagas de trabalho fora do setor agrícola no mês passado, após fechamento de 140 mil em dezembro, de acordo com pesquisa da Reuters.

O corte de vagas de dezembro foi o primeiro em oito meses e aconteceu em meio a renovadas restrições a empresas como restaurantes e bares para desacelerar o ressurgimento das infecções por coronavírus.