Mercado abrirá em 9 h 40 min
  • BOVESPA

    116.134,46
    +6.097,67 (+5,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.429,75
    +802,95 (+1,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,66
    +0,03 (+0,04%)
     
  • OURO

    1.704,70
    +2,70 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    19.576,84
    +392,71 (+2,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,96
    +9,61 (+2,21%)
     
  • S&P500

    3.678,43
    +92,81 (+2,59%)
     
  • DOW JONES

    29.490,89
    +765,38 (+2,66%)
     
  • FTSE

    6.908,76
    +14,95 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.840,75
    +624,96 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    11.366,25
    +80,50 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0763
    +0,0024 (+0,05%)
     

Criação de vagas no setor privado dos EUA desacelera em agosto, mostra ADP

Anúncio de contratação do Serviço Postal dos EUA em Boston

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - O setor privado dos Estados Unidos contratou 132 mil trabalhadores em agosto, após 268 mil em julho, mostrou o Relatório Nacional de Emprego da ADP nesta quarta-feira, em número que pode indicar erroneamente uma desaceleração mais forte do mercado de trabalho, já que dados do governo continuam apontando firme demanda por trabalhadores e condições muito apertadas no setor.

"Nossos dados sugerem uma mudança para um ritmo mais conservador de contratação, possivelmente à medida que as empresas tentam decifrar os sinais conflitantes da economia", disse Nela Richardson, economista-chefe da ADP.

"Podemos estar em um ponto de inflexão, de geração turbinada de postos de trabalho para algo mais normal."

Dados do governo mostraram na terça-feira 11,2 milhões de vagas em aberto no último dia útil de julho, com duas vagas para cada desempregado. Apesar do ritmo acelerado de aumento da taxa de juros pelo Federal Reserve para conter a inflação, não houve demissões generalizadas, com pedidos semanais de seguro-desemprego ainda em níveis consideravelmente baixos.

A divulgação do relatório da ADP havia sido suspensa para os meses de junho e julho enquanto a empresa reformulava a metodologia dos dados após um histórico ruim de previsão do componente de emprego privado dentro do mais abrangente relatório do Departamento do Trabalho norte-americano.

A ADP descreveu o novo relatório, agora desenvolvido em conjunto com o Stanford Digital Economy Lab, como "um indicador independente e complementar aos dados do governo" e não considerado como uma previsão do número das folhas de pagamento do setor privado presente no "payroll" do governo. Os dados históricos dos últimos 12 anos foram referenciados.

A geração de emprego no mês passado ficou concentrada no setor de serviços, que adicionou 110 mil vagas. O emprego na indústria aumentou 23 mil.

O relatório foi publicado antes do dado de emprego mais abrangente do Departamento do Trabalho --observado de perto pelo mercado--, que será divulgado na sexta-feira. De acordo com uma pesquisa da Reuters com economistas, a criação de vagas no setor privado provavelmente foi de 300 mil em agosto, contra 471 mil em julho.

Sem previsão de ganhos de emprego no setor público, isso deixaria a abertura geral de vagas fora do setor agrícola em 300 mil. A economia dos EUA criou 528 mil empregos em julho.

(Por Lucia Mutikani)