Mercado abrirá em 3 h 28 min
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,17
    +1,60 (+1,46%)
     
  • OURO

    1.827,70
    +2,90 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    21.127,52
    -303,37 (-1,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    461,42
    -0,37 (-0,08%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.340,97
    +82,65 (+1,14%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.110,75
    +70,25 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5345
    -0,0096 (-0,17%)
     

Crescimento do setor de serviços dos EUA desacelera novamente em maio, mostra pesquisa do ISM

Padaria na Filadélfia, EUA

WASHINGTON (Reuters) - O crescimento do setor de serviços dos Estados Unidos desacelerou pelo segundo mês consecutivo em maio, mas as empresas relataram fortes ganhos em novos pedidos domésticos e de exportação, mostrou pesquisa mostrou nesta sexta-feira.

O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) informou que seu índice de atividade não-manufatureira caiu para 55,9 no mês passado de 57,1 em abril. Economistas consulados pela Reuters projetavam queda a 56,4.

Uma leitura acima de 50 indica expansão no setor de serviços, que responde por mais de dois terços da atividade econômica dos Estados Unidos.

A desaceleração contínua pode refletir as persistentes restrições de oferta, que foram agravadas pela política de Covid zero da China e pela guerra da Rússia contra a Ucrânia.

A medida do ISM de novas encomendas recebidas pelas empresas de serviços recuperou-se para 57,6 no mês passado, contra 54,6 em abril. As empresas também relataram um aumento nas encomendas de exportação

O indicador de emprego no setor de serviços também se recuperou para 50,2, de uma leitura de 49,5 em abril. O aumento no emprego ajudou as empresas a fazer algum progresso na redução do acúmulo de trabalho inacabado.

A inflação dos serviços continuou alta. Uma medida dos preços pagos pelos fornecedores de serviços por insumos caiu para uma leitura ainda alta de 82,1, de 84,6 em abril.

O Federal Reserve aumentou a taxa de juros em 0,75 ponto percentual desde março. A expectativa é de alta de 0,5 ponto em cada uma de suas próximas reuniões, neste mês e em julho.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos