Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.710,03
    -3.253,98 (-2,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.748,41
    -906,88 (-1,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,64
    -0,44 (-0,67%)
     
  • OURO

    1.821,30
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    50.571,77
    -6.458,06 (-11,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.389,56
    -174,27 (-11,14%)
     
  • S&P500

    4.063,04
    -89,06 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    33.587,66
    -681,50 (-1,99%)
     
  • FTSE

    7.004,63
    +56,64 (+0,82%)
     
  • HANG SENG

    27.954,26
    -276,78 (-0,98%)
     
  • NIKKEI

    27.599,33
    -548,18 (-1,95%)
     
  • NASDAQ

    13.048,00
    +49,50 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4067
    +0,0012 (+0,02%)
     

Crescimento do PIB da China tem ritmo recorde no 1º tri mas retomada pós-Covid deve perder força

Gabriel Crossley e Kevin Yao
·2 minuto de leitura
Distrito Empresarial em Pequim

Por Gabriel Crossley e Kevin Yao

PEQUIM (Reuters) - A recuperação econômica da China acelerou com força no primeiro trimestre para um crescimento recorde de 18,3% em relação à forte queda do ano anterior devido ao coronavírus, impulsionada por demanda mais forte tanto no país quanto no exterior e pelo suporte contínuo do governo às empresas menores.

Mas a expansão, bastante influenciada pela queda na atividade um ano antes, deve se moderar neste ano conforme o governo passa sua atenção para a contenção dos riscos financeiros em superaquecer partes da economia.

Embora o salto do Produto Interno Bruto tenha ficado abaixo da expectativa de economistas de 19% em pesquisa da Reuters, os dados oficiais mostraram que esse foi o crescimento mais rápido desde que os registros trimestrais começaram em 1992, depois de alta de 6,5% no quarto trimestre de 2020.

"A conclusão é que, com a economia já acima de sua tendência pré-vírus e o suporte sendo retirado, a recuperação da China pós-Covid está se nivelando", disse Julian Evans-Pritchard, economista sênior da Capital Economics.

"Esperamos que o crescimento trimestral permaneça modesto durante o resto do ano conforme o recente boom na construção e nas exportações perca força, levando a atividade de volta à tendência."

Com a ajuda de rigorosas medidas de contenção e de alívio emergencial a empresas, a economia se recuperou da perda de 6,8% vista nos três primeiros meses de 2020, quando o vírus da Covid-19 surgido na cidade de Wuhan rapidamente se tornou em uma pandemia.

As vendas no varejo dispararam 34,2% em março sobre o mesmo período do ano anterior, superando a expectativa de ganho de 28,0% e o salto de 33,8% visto nos dois primeiros meses do ano.

Outros dados, no entanto, mostraram moderação na expansão, com o crescimento na base trimestral desacelerando a 0,6% entre janeiro e março, de 3,2% no trimestre anterior, abaixo da expectativa de 1,5%.

A produção industrial cresceu 14,1% em março sobre o ano anterior, depois de salto de 35,1% em janeiro-fevereiro e atrás da projeção de economistas de 17,2%.

(Reportagem adicional de Stella Qiu e Lusha Zhang)